últimas notícias

Conselho Consultivo da AP Madeira quer promoção focalizada

O Conselho Consultivo da Associação de Promoção da Madeira sugeriu à direcção da AP Madeira que o plano de actividades para 2011 concentre a aplicação das verbas disponíveis para promoção ao invés de o diversificar e dispersar. Concretamente, que concentre em determinados mercados, depois de devidamente ponderado o potencial emissor de cada mercado, atenta a conjuntura económica desse mesmo mercado, em poucos produtos, no cliente-alvo, e no cliente final.
Estas foram algumas das resoluções saídas da reunião de sexta-feira, que contou com a quase totalidade dos conselheiros, e que foi abordada no segundo ponto da ordem de trabalhos que tratava da "apresentação, discussão e definição de recomendações que pudessem ser incorporadas na plano de actividades da AP Madeira para 2011".

Outro ponto que esteve em cima da mesa foi a intenção de calcular o retorno do investimento em promoção efectuado pela AP Madeira, por ano (desde 2005) e por mercado. Um trabalho que será realizado pela ACIF - Câmara de Comércio e Indústria da Madeira, tendo por base os dados que serão facultados pela direcção da AP Madeira.
Contudo, o primeiro ponto da ordem de trabalhos constou da "análise dos últimos indicadores disponíveis sobre o turismo na Madeira". Neste âmbito foram dissecados os dados do Instituto Nacional de Estatística e da Direcção Regional de Estatística, referentes a Julho de 2010, e da ANAM, de Agosto de 2010. O Conselho Consultivo apurou que, relativamente ao período homólogo (Julho de 2009), verificou-se uma redução de 4,7% no número de dormidas. Por outro lado, evidencia que ocorreu, de igual modo, uma diminuição da taxa de ocupação de 58,2% para 55,6% e do Rev-Par (rendimento por quarto disponível) de €32,6 para €30,79.
Quanto aos valores acumulados até final de Julho de 2010, quando comparado com o mesmo período de 2009, sublinha que se regista uma redução nas dormidas de 12,9%, um decréscimo da taxa de ocupação de 6,9% (para 46,7%) e uma diminuição do Rev-Par de 15,1% (para €26,15).
Acerca desta matéria, o referido órgão da AP Madeira evidencia que não obstante os dados a Julho aparentarem um ligeiro estancar das perdas acentuadas, que se verificam desde o início do ano (e, eventualmente, até uma pequena inversão em Agosto, como parecem indiciar os dados da ANAM a Agosto de 2010), “a generalidade dos conselheiros transmitiram a sua preocupação pela performance nos primeiros sete meses de 2010, o que faz antever um ano assaz adverso para o turismo da Madeira e, em particular, para a hotelaria”.
Complementa que, efectivamente, em causa “está uma baixa ocupação, mas, sobretudo, uma queda contínua do Rev-Par, o que até está em contra-ciclo com o que se verifica no todo nacional, ao ponto do Rev-Par acumulado a Julho, na Madeira, ser idêntico à média nacional, quando, tendencialmente, sempre existiu um diferença relevante favorável ao Rev-Par na Madeira”.
O último ponto da agenda do CC versou as implicações para a AP Madeira, em particular, e para o turismo da Madeira, em geral, da eventual adopção das propostas apresentadas no estudo efectuado pela Roland Berger sob epígrafe: “Reavaliação do PENT 2015 – Modelo de contratualização - Ajustamento ao Modelo Actual”, na redacção de Julho de 2010.
Na oportunidade, os conselheiros foram informados que não há ainda decisão do Turismo de Portugal acerca da adopção do novo modelo de concretização, pelo que a discussão sobre esta temática ocorrerá, mais detalhadamente, em reunião ulterior do CC após ser conhecida a decisão final do Turismo de Portugal.
Recorde-se que o CC da AP Madeira é o órgão consultivo da AP da Madeira, que reúne ordinariamente, pelo menos, uma vez por trimestre, e é composto por 11membros com direito a voto, dele fazendo parte, por inerência, o presidente da Assembleia-Geral, o presidente do Conselho Fiscal, o presidente e o vice-presidente da direcção da AP Madeira.
Os restantes seis membros foram propostos pelo sócio fundador ACIF, tendo sido a proposta alvo de ratificação em Assembleia-Geral.

Sem comentários