últimas notícias

Savoy Palace visto por dentro

O Savoy Palace apresenta já grandes espaços verdes e ajardinados
📷  Paulo Camacho  📷
Em abril do próximo ano, no início do verão IATA 2019, o destino Madeira vai ganhar uma nova unidade hoteleira de 5 estrelas: o Savoy Palace. Será uma abertura em soft opening, para ir limando as últimas arestas do investimento superior a 120 milhões de euros da construção do hotel que está a ser erguido no Funchal no lugar do Savoy clássico e do Santa Isabel, ambos demolidos.

por Paulo Camacho

Um dos quartos modelo
📷  Paulo Camacho  📷
A partir da altura que receber os primeiros clientes, cujas vendas estão a ser feitas desde 2016, a Madeira passa a ter 1.128 novas camas hoteleiras nos 560 quartos distribuídos pelos 16 andares do edifício ondulante. São mais 3,8% das camas atuais do destino para as quais são necessárias uma média cerca de 5 aviões cheios todas as semanas.
Vamos deixar de lado a polémica da volumetria do hotel, que é acentuada para a cidade onde está inserida.
O quarteirão onde antes estavam duas unidades hoteleiras: o Savoy clássico, herdeiro de várias remodelações do original Savoy de 1912. Foi demolido em 2009. O hotel Santa Isabel também veio abaixo. Tinham um total de 425 quartos e 850 camas. Feitas as contas, com a nova oferta do Savoy Palace, há um diferencial positivo de 235 quartos e 278 camas.
No entanto, há que referir que o projeto aprovado inicialmente constava de 828 camas e 371 unidades de alojamento.
Mas estes números foram alterados. O ano passado, as camas e os quartos passaram para os números atuais. Isto depois de autorizado em Conselho do Governo Regional, reunido em plenário em 4 de outubro de 2017.

Uma das muitas vistas desde o topo do edifício
📷  Paulo Camacho  📷

Como será o novo hotel
Mas adiante porque estas questões apenas são referidas para contextualizar o presente trabalho que não pretende focar num tema que já se sabe divide opiniões que acabam por ser estéreis. É um pouco como as discussões redondas em redor do futebol quando se questiona, por exemplo, um lance dentro de área quando um jogador da equipa que defende toca com parte do braço na bola e surge a dúvida que alimenta discussões acesas se, de facto, foi mão na bola ou bola mão. É porque, para os menos familiarizados, estamos a falar de ser ou não penálti.
A verdade insofismável é que o hotel foi licenciado e vai seguir o seu curso. Daí que aquilo que importa saber é o que será a unidade hoteleira, toda ela com quartos que proporcionam vista mar, uma grande diferença em relação ao clássico que tinha unidades com vista montanha, e alguns até com vista parque de estacionamento.

Detalhe de uma casa de banho de um dos quartos
📷  Paulo Camacho  📷

Nini decora
A decoração de interiores do Savoy Palace está a cargo de Nini Andrade Silva que refere que o novo Savoy surge “inspirado na elegância dos espaços e no conforto sublimado pelos detalhes, cuja expressividade se sentirá na qualidade dos materiais, perfeição dos acabamentos, suavidade das texturas e na riqueza dos elementos decorativos e do próprio projeto de design de interiores”.
Explica que o projeto de design de interiores, de cariz clássico intemporal, “recebe influência de um período da história mundial recente, designado por Belle Époque e que renasce em
total harmonia com os recursos culturais da ilha, numa apaixonante viagem entre o
património natural e imaterial existente”.

Diferentes jogos visuais
“Referimo-nos à exuberância da natureza envolvente, à singularidade da paisagem humanizada onde se destacam as levadas e os túneis antigos, à excelência e mestria do Bordado Madeira, à arte secular de trabalhar o Vime e à sapiência associada à produção de um dos melhores vinhos licorosos do mundo - o Vinho Madeira. Trabalhados juntos, estes recursos singulares estão na base da metamorfose entre a inspiração conceptual e a materialização do projeto de design de interiores”, complementa Nini.
Acentua que foram definidos diferentes jogos visuais, que equilibram a linguagem do próprio edifício com uma certa voluptuosidade do seu interior. “Apostámos em contrastes subtis entre as cores pastel e nude que deixam a luz inundar o espaço”.
Por isso, Nini Andrade Silva sublinha que “entrar neste hotel, será como entrar num mundo poético, com destaque para a importância da cor, das texturas e de peças e objectos emblemáticos”.

O hotel de linhas ondulantes
📷  Paulo Camacho  📷

“Pau de Fileira”
Na quarta-feira, dia 6 de junho, realizou-se o “Pau de Fileira”. Uma cerimónia que se faz quando acabam a estrutura de uma obra. Muitos convidados acompanharam os promotores que do nada ergueram o empreendimento.

Bruno Freitas
Marco importante
Bruno Freitas, administrador da Savoy Hotels & Resorts, realçou que o evento foi “um marco importante. Chegámos ao fim da parte de estrutura e agora vamos começar com a finalização do hotel” que disse estar a ser vendido há muito tempo. Complemento que agora têm estado mais intensamente junto dos operadores turísticos e de canais diretos de comercialização “a fazer uma abordagem sobre esta unidade hoteleira”.

Vista de parte do Solário e da grande piscina e da Quinta Savoy do outro lado da ponte
📷  Paulo Camacho  📷
Avelino Farinha
Abrir o hotel à cidade
Por seu turno, o empresário Avelino Farinha, proprietário do grupo hoteleiro Savoy, afirmou que têm “um enorme orgulho na obra que estamos a construir e temos uma grande alegria pela contribuição que estamos a dar à cidade e à Madeira”. Vincou igualmente a grande e mais importante decisão com o novo projeto hoteleiro “foi a de abrir o hotel à cidade e à população, criando uma nova centralidade”. Explicou que de uma área inicialmente toda privada e de hotel, abriram mais de 1/3 à cidade, “transformando-a em área pública com jardins, praças e lojas comerciais”.


The Leading Hotels of the World
O empresário revelou que o Savoy Palace vai fazer parte da restrita lista de hotéis de luxo e charme que integram The Leading Hotels of the World. E deixou claro que estão “comprometidos com a qualidade, requinte e glamour da marca Savoy”. Avelino Farinha rematou dizendo: “Queremos e estamos a criar um hotel de referência na Madeira e para o turismo em geral”.

Paulo Cafôfo
Há que ser pragmático
Outro dos presentes foi Paulo Cafôfo, presidente da Câmara Municipal do Funchal. Questionado acerca do projeto, deixou claro que se tivesse entrado “enquanto eu fosse presidente de Câmara, nunca teria sido aprovado”. Sublinhou que “tem efetivamente uma volumetria bastante elevada, e não teria aprovado na forma como o projeto foi”. No entanto, complementou que deparou-se com uma realidade que “tinha de ter uma solução”. Pelo que referiu que nesta matéria, há que ser pragmático. Agora, o que espera “é que a qualidade deste empreendimento seja uma qualidade de excelência”.
O edil recordou que o espaço onde está já de pé o edifício “era uma cratera” antes de Avelino Farinha comprar o grupo Savoy para viabilizar o projeto. Pelo que reconheceu que “precisamos é de investimento” e de projectos “criadores de empregos, que tragam desenvolvimento à nossa região, que tenham impacto na economia”.

Miguel Albuquerque
O melhor para a cidade
Por seu turno, o atual presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, responsável máximo pela autarquia quando o projeto foi aprovado, evidenciou que tinha a certeza de que fez o melhor para a cidade.

📷  Paulo Camacho  📷
Visita evidencia qualidades
Uns dias depois do “Pau de Fileira”, para o qual fomos convidados mas não conseguimos estar presentes, tivemos oportunidade de ver como está o empreendimento a menos de um ano da abertura.
Uma primeira nota. Estando na zona de solário, a sul, e olhando para o edifício não sobressai a volumetria que se esbate com o traço ondulante da unidade em construção. Depois verificamos já muitos apontamentos de plantas e flores, que definem espaços e mostram harmonia no conjunto. Isso mesmo foi-nos permitido fotografar, não que houvesse qualquer restrição imposta na visita, antes pelo contrário, podíamos registar o que bem entendêssemos. Evidentemente que não tínhamos qualquer interesse em apontar a câmara para espaços cinzentos, em cimento, ainda sem vida. Não foi esse o nosso propósito, antes mostrar o potencial da nova oferta hoteleira.

Muito com que se entreter
Verificamos que o cliente do Savoy Palace vai ter muito com que se entreter na estada com a oferta não diversificada que a unidade de 5* vai oferecer.
Visitamos a Quinta Savoy, uma nova edificação, do outro lado da estrada, interligada ao hotel por uma ponte sobre a Rua Imperatriz D.ª Amélia. Já bem adiantada e com madeiras no chão recuperadas do Savoy Clássico, pretende recriar a arquitetura de uma típica quinta madeirense e ser um espaço único na cidade. Conservando o seu jardim original oferecerá um espaço para eventos, bem como um restaurante, um bar e um terraço.
Tem entrada direta pela referida rua e estacionamento próprio, acessível pela Rua Carvalho Araújo, encostado ao Madeira Regency Club, a última unidade adquirida pelo grupo Savoy.

A vista é de cortar a respiração
📷  Paulo Camacho  📷
Sem o andar 13
Vimos o que será um SPA monumental, o Centro de Congressos, que oferecerá uma sala multiusos, com 800 metros e capacidade até 900 pessoas, bem como 5 salas com 48 metros cada, os quartos encantados com motivos de Bordado Madeira, a ampla e naturalmente iluminada entrada, junto à qual se encontra a escada em caracol suspensa, que é um desafio à engenharia, e os espaços comerciais em várias frentes, entre muitas outras vertentes.
Tivermos oportunidade de subir ao topo no único elevador a funcionar neste momento, de acesso muito restrito. Curiosamente, na subida verificamos que não existe o andar 13. Superstições são superstições pelo que, ainda por cima num investimento desta grandeza, mais vale não arriscar e deixar o número de lado. Afinal de contas é apenas isso que representa, um número. O resto fica lá.
E, chegado ao cimo, bem, é hora para dizer: silêncio que queremos aproveitar cada segundo para contemplar o que os olhos alcançam. Depois, se imaginarmos o que será aquela área para apanhar sol, beber um copo e ir à piscina, adivinhamos um claro sucesso comercial.
Do empreendimento podemos evidenciar as seguintes vertentes:

Esboço do empreendimento ou constam números descritos por ordem crescente nas ilustrações e textos seguintes
📷  Savoy Palace  📷
Caraterísticas do Savoy Palace
Em relação ao Savoy Palace, tem uma área de construção com 146 mil m2, uma área de varandas equivalente a 7 quilómetros, 27 elevadores e 21 piscinas, 14 das quais integradas em suites. Além dos quartos oferecerem vista para o mar teremos as suites com jacuzzi na varanda.


Plaza Savoy
A Plaza Savoy é uma das zonas comerciais presentes no projeto do Savoy Palace. Com lojas dedicadas à restauração e serviços, pretende criar um polo diferenciador na cidade do Funchal.
Irá disponibilizar estacionamento subterrâneo e área comercial ao ar livre.


Receção
Luxo, conforto e detalhes decorativos de excelência são os elementos que vão atribuir uma personalidade única a este espaço.
A imponente entrada contará com 12 metros de pé direito e com uma impressionante área de 1.500 metros.


Vip Lounge
Espaço exclusivo no último andar com magníficas vistas panorâmicas sobre o oceano e a cidade do Funchal.
O espaço oferecerá um restaurante, um bar, sala de reuniões, uma piscina e um solário, sendo o local ideal para uma experiência Savoy.


Galáxia Sky Bar
Herdou o nome do Savoy clássico, lugar de festas com ampla tradição na região. Será um espaço de eleição, oferecendo vistas de 360 graus para a cidade do Funchal.
Terá um restaurante de assinatura, um bar interior, um bar exterior, piscina panorâmica e um deck com vistas de cortar a respiração.


Quartos
O resort comporta alojamentos de tipologias distintas onde a qualidade impera, sendo que a Madeira está retratada em detalhes como o Bordado Madeira.
Algumas categorias de alojamento que se destacam são as Pool Suites e a Suite Presidencial.
A maioria dos quartos oferece uma ampla varanda com vistas soberbas sobre o Oceano Atlântico.


Galeria Savoy
Uma das áreas comerciais mais procuradas, com ligação à Avenida do Infante e lojas com 6 metros de pé direito, será o local de eleição para marcas de renome internacional marcarem presença na Madeira.


Centro de Congressos
O Savoy Palace irá oferecer o maior centro de congressos em hotéis na região. Com entrada direta pela Avenida do Infante, o espaço será totalmente equipado com as mais recentes tecnologias e oferecerá uma sala multiusos, com 800 metros e capacidade até 900 pessoas, bem como 5 salas com 48 metros cada.


Solário
Amplo solário com diversas cabanas onde a palavra de ordem é relaxar.
Com uma deslumbrante piscina e outra exclusiva para crianças, este espaço também oferecerá um restaurante com esplanada, sendo o local ideal para desfrutar refeições ligeiras.


Quinta Savoy
A típica Quinta madeirense será um espaço ímpar na cidade.
Conservando o seu jardim original oferecerá um espaço para eventos, bem como um restaurante, um bar e um terraço.
Com entrada direta pela Rua Imperatriz D.ª Amélia e estacionamento próprio.


Imperatriz e Armazéns
A zona comercial da Imperatriz D.ª Amélia é o espelho do trabalho de requalificação levado a cabo pelo projeto do hotel.
De uma rua apenas de circulação automóvel irá nascer uma área com diversas opções de restauração, um local de encontro para os locais e visitantes.


SPA
O Spa com uma área de 2.300 metros, terá como temática a floresta Laurissilva.
Com 11 salas de tratamento, ginásio, sauna, banho turco, jacuzzi, fonte de gelo, duches sensoriais, uma sala de haloterapia, uma sala de relaxamento, uma piscina interior aquecida, salão de beleza e um Champagne & Nails bar.


Show Bar
Este espaço será um bar versátil com animação diária e amplos ecrãs para visionamento de vários eventos.
A sua decoração transporta os famosos vimes da Madeira para o seu interior.


Restaurantes
O local onde as flores e a floresta se fundem.
Com área interior e exterior, será o espaço perfeito para o pequeno-almoço.
Com opção de escolha entre a sala verde e a sala branca, ambas terão um show cooking que fará as delícias de miúdos e graúdos.

📷  Paulo Camacho  📷

Dados relevantes do empreendimento

Área de implantação: 18.000 m2
Área de Construção acima do Solário: 69.900 m2
Área de Construção abaixo do Solário: 57.200 m2
Área comercial: 5.800 m2
Número de piscinas: 21. Tendo a Piscina principal 80 metros de comprimento e 21 metros de largura com uma capacidade de 1,4 milhões de litros de água
Número de elevadores: 27

Sem comentários