últimas notícias

Destino termina 2015 com 36 eventos realizados pelo Turismo da Madeira

O destino Madeira encerra mais um ano repleto de animação, com eventos que marcaram pela positiva todos aqueles que neles participaram e os milhares de turistas que se deixaram, por eles, contagiar. Eventos que preenchem diferentes gostos e preferências.
Ao todo, foram 36 os eventos apoiados, direta e indiretamente, pela Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, através da Direção Regional do Turismo, em 2015, numa dinâmica que faz, mais uma vez, da Madeira e do Porto Santo, destinos sempre em festa.
Nestes, incluem-se, naturalmente, os eventos do calendário anual de animação turística da Madeira, mas, também, eventos ligados à cultura e ao desporto. Importa aqui sublinhar a afirmação, pela qualidade e pela quantidade, dos eventos que, neste ano que agora finda, contribuíram para a crescente afirmação da Madeira, como destino ativo e de natureza, ao longo de todo o ano.

A estratégia de apoio aos eventos mantém-se para o próximo ano. Aliás, a Direção Regional do Turismo está, precisamente, a trabalhar no sentido de reforçar estes patrocínios, desde que os eventos candidatos aos mesmos tenham a capacidade de contribuir para o aumento da notoriedade do destino.

Para já, cerca de uma dezena de eventos em 2016 já conta com o patrocínio garantido do Turismo da Madeira e, mais uma vez, estamos a falar de iniciativas que têm a ver, na sua maioria, com a afirmação da Região como destino de turismo ativo, respondendo, assim, a uma procura que tem vindo a ser sentida e evidente, por este nicho de mercado.

A Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura concluiu, recentemente, a análise a todos os eventos que integram, atualmente, o calendário anual de animação turística da Região.

Um compromisso que foi assumido no Programa de Governo, ao qual o secretário regional da tutela, Eduardo Jesus, quis dar prioridade, de modo a que possam ser introduzidas alterações que visam enriquecer os eventos ao nível dos seus conteúdos, prolongá-los na sua durabilidade e descentralizá-los, na medida do possível, a todos os concelhos da Região.

Mudanças que serão visíveis no próximo ano, tendo por base as conclusões que resultaram da análise levada a cabo e que serão implementadas, de forma programada e faseada, até 2019.

Sem comentários