últimas notícias

JC Tours renova PME Líder - Turismo



A JC Tours Portugal, empresa com escritórios no Funchal, Lisboa e Algarve, foi informada pelo Turismo de Portugal, I.P. da renovação do seu estatuto PME Líder/Turismo no dia 20 de Julho.
A empresa que desde 2007 é PME Excelência, vê-se assim novamente distinguida com o estatuto PME Líder/Turismo, facto que segundo Júlio de Sousa, administrador da JC Tours Portugal, “é o reconhecimento externo pelo esforço e a entrega de todos os profissionais que têm permitido fazer da JC Tours um projecto empresarial sustentável, que todos os dias ultrapassam dificuldades e fazem de uma empresa de base regional um agente económico de dimensão internacional”.

Recorde-se que o estatuto PME Líder assenta nos seguintes critérios:
a) Empresas que assegurarem a condição de PME, de acordo com a Recomendação da Comunidade de 6 de Maio de 2003 (2003/361/CE), a ser comprovada através da certificação on-line em www.iapmei.pt, que deve ser renovada anualmente até à data limite legal de apresentação de contas às Finanças, sob pena de caducidade automática;

b) Situação regularizada perante a Administração Fiscal, a Segurança Social, o IAPMEI e
o Turismo de Portugal;

c) Foco em Pequenas e Médias Empresas que prossigam estratégias de crescimento e de reforço da sua base competitiva, seleccionadas através da superior capacidade de escrutínio e de uma ampla implantação no território nacional, pelos bancos protocolados.

Excepcionalmente, o Estatuto PME Líder poderá ser atribuído a Micro Empresas que apresentem inovação de referência e com potencial de demonstração, ou no caso das empresas do Turismo, empresas com empreendimentos e/ou actividades inovadoras ou inseridos em imóveis de reconhecido valor patrimonial;

d) Perfil de risco posicionado nos mais elevados níveis dos sistemas internos de notação de risco dos Bancos protocolados, e cuja uniformização se processa por relações estabilizadas e formalizadas com as entidades do Sistema Nacional de Garantia Mútua;

e) Empresas que, para além do superior perfil de rating, tenham pelo menos um exercício de actividade completo e que apresentem, com contas fechadas de 2009: (i) Crescimento do Volume de Negócios ou Resultados Líquidos Positivos e (ii) Autonomia financeira >
15% (Capitais Próprios/Activo Liquido).
Nota: No caso das empresas do Turismo o indicador Resultados Líquidos Positivos é
substituído por EBITDA Positivo [Resultados operacionais (conta 81) + Amortizações
(conta 66) + Provisões (conta 67) – Reversões de amortizações e ajustamentos (conta
77)].

Sem comentários