últimas notícias

easyJet espera crescer em 2010

Andy Harrison, easyJet Chief Executive da easyJet considera que a companhia vai alcançar um crescimento substancial ao nível do lucro em 2010 apesar de acentuar “estarmos a atravessar um dos piores períodos de recessão dos últimos 70 anos e até mesmo depois das paralisações relacionadas com uma das maiores quedas de neve dos últimos 30 anos e de cinco dias de encerramento de grande parte do espaço aéreo europeu, tendo em conta as cinzas vulcânicas”.


Neste sentido, o executivo diz esperar um crescimento do número de passageiros em cerca de 10% e um crescimento quer em produtividade quer em taxa de ocupação.  “Este tem sido um desempenho notável com base na ampla procura, por parte de consumidores de toda a Europa, das principais rotas da nossa da nossa rede low cost disponível aos preços mais baixos para os aeroportos mais convenientes”.

A easyJet espera que a capacidade medida em número de lugares ocupados, para a segunda metade do ano cresça em 7%, alcançando um crescimento de cerca de 7.5% para todo o ano, comparando com 2009. O que é uma previsão mais baixa em relação aos 10% anteriormente previstos tendo em conta o impacto das paralisações em consequência das cinzas vulcânicas. Grande parte do crescimento será sentido na Europa Continental e em Londres (Gatwick).

Com 47% dos lugares vendidos para este Verão, as reservas feitas com antecedência estão já a ultrapassar ligeiramente as do ano passado enquanto o crescimento das receitas totais por lugar para a segunda metade do ano se esperam que similares ao crescimento do segundo trimestre do ano.

O lucro antes de impostos para o ano foi estimado entre os £175 milhões e os £200 milhões com taxas de câmbio permanentes e custo de combustível constante3, previsão anterior às recentes paralisações em função das cinzas vulcânicas. Esta paralisação causou alguns custos adicionais e fez com que se perdessem contribuições na ordem dos £50 e £75 milhões. Assim, a Companhia reviu as suas previsões de lucro para este ano para um valor entre £100 milhões e £150 milhões com taxas de câmbio permanentes e custo de combustível constante3.

Os últimos seis meses demonstraram o potencial para acontecimentos inesperados que influenciam os lucros para além das variáveis normais de rendimento final, preço de combustível e taxas de câmbio, e como é óbvio as nossas previsões não se baseiam nas possíveis paralisações nem têm em conta novos níveis de cinzas vulcânicas significativos. Ainda assim, a easyJet tem continuado a negociar fortemente até à data apesar de todos as circunstâncias desafiadoras.

A receita total por lugar cresceu 5.1% (0.8% em moeda constante), em consequência da elevada procura por parte do consumidor, do crescimento das receitas adicionais e do crescimento de 1.4% na longitude do sector.

Por seu turno, o lucro subjacente antes de impostos de £78.7 milhões foi ligeiramente superior que o esperado. A redução de £51.1 milhões sentidos no lucro subjacente antes de impostos, comparada com o ano anterior, é influenciada por um decréscimo do custo do combustível equivalente a £80 milhões, parcialmente compensados com receitas de juros mais baixas em £11 milhões e £25 milhões em contribuições perdidas, bem como custos adicionais tendo em conta as paralisações que resultaram das tempestades de neve.

Refira-se ainda que a capacidade, medida em número de lugares ocupados, cresceu 7.9%. O número de passageiros cresceu 10.6% para 21.5 milhões com 54% dos passageiros vindos actualmente de fora do Reino Unido, um crescimento de 4 pontos percentuais comparando com o período anterior.

Uma nota final para referir que a posição da easyJet na aviação europeia de curta distância foi fortalecida e a easyJet obteve um aumento 6.5% na sua quota de mercado para 7.6% para aviação de curta distância nos últimos 12 meses.

Sem comentários