últimas notícias

BEI financia novos aviões da SATA Air Açores

(foto: Paulo Camacho)
O Banco Europeu de Investimento (BEI) concedeu um empréstimo de 37 milhões de euros à SATA Air Açores destinado à aquisição de quatro aeronaves turbo-hélice para o transporte inter-ilhas nos Açores e na Madeira, substituindo o mesmo número de aparelhos mais antigos.

Nas palavras de Carlos da Silva Costa, vice-presidente do BEI, trata-se de um projecto essencial para garantir a mobilidade da população do arquipélago e facilitar o acesso aos serviços públicos disponíveis na região autónoma, «permitindo melhorias de eficiência energética». Neste sentido, considera ser decisivo assegurar a coesão territorial e social a nível regional e criar as condições para o desenvolvimento sustentável de uma região europeia ultraperiférica, «significando este projecto um forte contributo para a coesão económica e social na UE, na linha das prioridades políticas do Banco e da União.”
Para António Menezes, presidente da SATA, a decisão do BEI é muito gratificante para a SATA Air Açores porque «proporciona um financiamento em condições vantajosas.»
Os aviões serão operadas pela SATA a partir da sua base em Ponta Delgada, servindo principalmente as rotas inter-ilhas nos Açores e na Madeira e as ligações com as Canárias.
No arquipélago dos Açores, à única alternativa à aviação inter-ilhas é o transporte marítimo, pouco atractivo, em especial para o transporte de passageiros, devido às distâncias relativamente longas e à agitação marítima.
O transporte aéreo desempenha um papel crucial ao facilitar o acesso das populações a serviços de educação e saúde nas diferentes ilhas. A elevada fragmentação geográfica do arquipélago, combinada com a baixa densidade populacional, implica que muitos serviços de saúde e ensino superior se concentrem nas ilhas de São Miguel e Terceira, tornando grande parte da população dependente do transporte aéreo em termos de acesso.

As novas aeronaves substituem aparelhos menos eficientes em consumo de combustível e completam a modernização da frota da SATA, imposta pela idade e pelo nível tecnológico da frota actual.

O Grupo de empresas SATA não tem cessado de crescer ao longo dos últimos anos. Com mais de 60 anos de experiência no transporte aéreo de passageiros e carga, a SATA apresenta hoje uma estrutura organizativa mais moderna e funcional, adaptada aos desafios de um sector extremamente exigente e competitivo.

A frota do Grupo SATA divide-se pelas suas duas companhias de transporte aéreo. À SATA Air Açores pertencem os equipamentos ATP (64 lugares) e dois Bombardier Q200 (37 lugares), por seu turno, a SATA Internacional voa com A310-300 com 222 lugares e A320-200 com 165 lugares operando ligações para continente e ilhas, Europa, Estados
Unidos da América e Canadá, servindo, no seu conjunto, uma malha de rotas composta por mais de 50 destinos.
Do seu universo fazem parte cinco empresas que asseguram desde o transporte aéreo, à promoção turística, a gestão de Aeródromos, bem como a assistência em escala a todas as companhias aéreas que aterram em solo açoriano.

O BEI é a instituição de financiamento a longo prazo da UE que promove os objectivos europeus.
Constituído em 1957, opera nos 27 Estados-Membros e em mais 130 países em todo o mundo. As operações de financiamento do BEI são estruturadas no quadro de políticas comunitárias bem definidas. A melhoria das redes e dos serviços de transporte constitui uma prioridade da União Europeia, devido à sua importância para a promoção da integração económica e social da UE, da livre circulação das pessoas e das mercadorias e do desenvolvimento das regiões mais desfavorecidas da União. Todavia, o financiamento da aquisição de aeronaves está limitado a casos
excepcionais em que se demonstre um valor acrescentado muito elevado.

Sem comentários