últimas notícias

Madeira continua a perder residentes

A Madeira tinha um saldo de residentes desequilibrado entre mulheres e homens
📷  Paulo Camacho / Madeira Photos  📷

No final do ano passado, residiam
254.368 pessoas na Região Autónoma da Madeira. De acordo com as Estimativas da População Residente,118.411 eram homens e 135.957 mulheres.

por Paulo Camacho

Apesar de mais suavizada, manteve-se a tendência de decréscimo populacional iniciada em 2011. Significa uma redução de 508 pessoas face a 2016 e uma taxa de crescimento efetivo negativa, de -0,2% (-0,6% em 2016).
O saldo natural negativo (-553), que traduz um número de óbitos superior ao de nascimentos, foi determinante para a evolução que a população residente da Região apresenta em 2017, pois apesar de se ter observado, pela primeira vez, na década um saldo migratório positivo (+45), a verdade é que não foi de dimensão suficiente para contrabalançar o valor do saldo natural.

Saldo migratório positivo

No que respeita ao saldo migratório, o valor positivo registado resulta do regresso ao arquipélago de emigrantes que residiam na Venezuela, fluxo mais expressivo que o do fluxo migratório de saída.
Por sua vez, o saldo natural de 2017 (-553, como acima referido) constitui-se como o terceiro menos negativo desde 2011, sendo de assinalar a evolução favorável em relação a 2016, ano em que se fixou em -756.
À exceção dos municípios de Santa Cruz (0,89%), Porto Santo (0,22%) e Ponta do Sol (0,03%) todos os restantes municípios da Região apresentaram taxas de crescimento efetivo negativas. Os maiores decréscimos populacionais aconteceram nos municípios de Santana e Machico, com -1,0% e -0,89%, respetivamente.

Densidade populacional elevada

Em 2017, a densidade populacional da RAM era de 317,7 habitantes por Km2.
O Funchal foi o município a registar o maior valor (1.373,8/Km2), contrastando com o Porto Moniz, que apresentava o valor mais baixo (28,7 Hab/Km2).
A proporção de jovens (população com menos de 15 anos) continuou a diminuir em 2017, representando 13,9% da população total (14,3%, em 2016).
A proporção de idosos (população com 65 ou mais anos) manteve também a tendência crescente dos últimos anos, atingindo 16,4% da população residente (16,0%, em 2016).

Índice de envelhecimento continuou a aumentar

Em consequência, o índice de envelhecimento continuou a aumentar, fixando-se em 117,8 pessoas idosas por cada 100 jovens (111,5 em 2016).
Os valores mais elevados deste indicador registaram-se em São Vicente (241,7), Santana (240,9) e Porto Moniz (222,2). Por seu turno, os valores mais baixos foram observados em Santa Cruz (67,0) e Câmara de Lobos (72,8).
Em 2017, aumentou o número médio de filhos por mulher, traduzido pelo índice sintético de fecundidade, situando-se em 1,16 filhos por mulher (1,07 em 2016).

Sem comentários