últimas notícias

Cristiano Ronaldo feliz e honrado por ser escolhido para o Aeroporto da Madeira

Cristiano Ronaldo à chegada, com a sua namorada, à direita, Georgina Rodriuguez
(foto: Paulo Camacho)
Cristiano Ronaldo diz ter ficado orgulhoso pelo facto do seu nome ter sido escolhido para o Aeroporto da Madeira.
Esta quarta-feira, em Santa Cruz, no piso térreo do aeroporto, onde muitos convidados estavam sentados e centenas ficaram de pé a presenciar a cerimónia (maioritariamente compostos por alunos de escolas e de séniores, que, tal como os primeiros, chegaram aos magotes em autocarros), o jogador de futebol madeirense referiu que ver o seu nome ser dado ao Aeroporto da Madeira “é algo muito especial”. Evidenciou que “toda a gente sabe que tenho orgulho das minhas raízes e da minha terra”.
Lembrou que nas entrevistas que concede e nas ações de promoção que desenvolve faz “sempre questão de elogiar Portugal e, em especial, a Madeira”.

(foto: Paulo Camacho)
Elogios à coragem
Em relação à homenagem desta quarta-feira, o jogador madeirense recordou que sempre tem dito que considera que as homenagens devem ser feitas enquanto as pessoas distinguidas estão vivas, como é o seu caso. Por isso, disse agradecer muito ao presidente do Governo Regional “por ter tido a coragem, a frontalidade e a firmeza de defender a sua ideia”.
Cristiano Ronaldo dirigiu-se ao “caro amigo Miguel Albuquerque” para dizer: “Nunca pedi que fizesses isto. Mas não sou hipócrita e assumo que fico feliz e honrado”.
Quanto às vozes discordantes da atribuição do seu nome ao aeroporto o jogador disse saber que algumas pessoas “não estão de acordo”. Contudo, admitiu que algumas até deveriam estar na cerimónia naquele momento. Não obstante, reconheceu que vivemos numa democracia e que todos têm direito a expressar a sua opinião. No entanto, disse que prefere as pessoas “que assumem as suas posições de viva voz e de forma clara” em detrimento “dos que se escondem e falam por eles”.
Cristiano Ronaldo disse estar consciente da  responsabilidade e referiu que sabe a responsabilidade que tem. Por isso afirmou: “Tentarei sempre continuar a dignificar Portugal e, em especial, a Madeira, com dedicação, espírito de sacrifício e paixão, como sempre fiz até agora”.

(foto: Paulo Camacho)
Levantamentos divergentes
Mas, naquela manhã, os aviões levantavam nas pistas 05 e 23, respetivamente, para o lado de Santa Cruz e para o lado de Machico, na cerimónia de homenagem ao jogador de futebol madeirense Cristiano Ronaldo. De certa forma, espelhava um pouco alguma divisão entre as pessoas que defendem a escolha do nome do capitão da seleção portuguesa para a principal infra-estrutura aeroportuária da Região Autónoma da Madeira, e os que optariam por outras pessoas, como Alberto João Jardim, que considerou, ainda na presidência do Governo Regional, que a ampliação do Aeroporto da Madeira tinha sido a sua grande obra no arquipélago que liderou mais de 30 anos.
Seja como for, a escolha feita o ano passado pelo presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, prevaleceu.

O Bilhete Postal dos Correios, alusivo à cerimónia de homenagem a Cristiano Ronaldo que passa a estar à venda
(foto: Paulo Camacho)
Uma honra pela escolha
No seu discurso na cerimónia desta quarta-feira, o governante evidenciou ter sido “uma grande honra tomar esta decisão, que estou certo, representa a vontade dos madeirenses e dos portosantenses, e da maioria, quase unânime do povo português”.
Miguel Albuquerque disse que estava a ser prestada uma justa homenagem a “um grande madeirense e a um grande português”. Um homem que sublinhou ser graças ao seu talento e ao seu persistente trabalho que “ultrapassou as fronteiras da ilha e do país e se afirmou como um atleta de eleição”. Além disso, o presidente do governo evidenciou que Cristiano Ronaldo é o português mais conhecido no mundo e admirado em todos os continentes, por todas as gerações.

(foto: Paulo Camacho)
Escolha excecional
Na cerimónia presidida pelo Presidente da República, onde também esteve o primeiro-ministro, António Costa, que não falou, o Chefe de Estado descerrou a placa alusiva à homenagem e ao acréscimo do nome de Cristiano Ronaldo ao Aeroporto da Madeira. Um pouco abaixo da placa estava o busto do jogador que tanta polémica tem dado em desrespeito pelo trabalho artístico, que será sempre um cunho de quem o faz e nunca um retrato fiel, sem que com isto esteja a ser advogado de ninguém.
Marcelo Rebelo de Sousa reconheceu que se trata de “uma escolha excecional para uma personalidade excecional, que temos a certeza que nunca nos desiludirá, tal como a Madeira e Portugal nunca o desiludiram, antes o admiram com gratidão e com um carinho sem limite”
No entanto, o Presidente diria anteriormente que “a escolha foi, ainda assim, disse-o Cristiano Ronaldo, e há que reconhecê-lo, arriscada. E, por isso, corajosa”.

O novo busto de Cristiano Ronaldo, que passa a estar na área de chegadas do Aeroporto da Madeira
(foto: Paulo Camacho)
A responsabilidade de CR7

O Presidente da República disse não ser por acaso que a prática comum prefere atribuir a obras ou empreendimentos da envergadura do Aeroporto da Madeira o nome de personalidades que já faleceram e cujo percurso completo é conhecido “e pode ser avaliado com distância e o menor peso das inclinações de cada momento. Até para evitar que as vicissitudes imprevisíveis de quem ainda tem muito futuro por viver, e as mudanças de juízo na história, levem a alterações sempre indesejáveis”. No entanto, sublinhou que a escolha feita neste caso “o seu carácter, muitíssimo raro, para não dizer quase único, foi feita a saber destes riscos, a ponderá-los e a considerá-los menos importantes do que a homenagem que era e merecida e é merecida e a gratidão que era devida e é devida. Certamente a pensar ainda em duas razões determinantes: a responsabilidade de Cristiano Ronaldo e a confiança ilimitada que a Madeira e todo o Portugal nele depositam”.

Sem comentários