últimas notícias

Baixa de combustíveis traduz ganhos acentuados na Madeira

(foto Pixabay)
Desde que o Governo Regional passou a fixar os preços dos combustíveis a praticar pelas diversos postos de reabastecimento na Região Autónoma da Madeira que o sentido tem sido num sentido: o da descida. No caso concreto da gasolina sem chumbo 95, entre um de Agosto de 2008, o primeiro dia com preços estipulados por despacho conjunto da vice-presidência do Governo Regional e pela Secretaria Regional do Plano e Finanças e o dia 12 de Janeiro, o último valor indicado e a vigorar, passou de 1,44 euros por litro para 1 euro. Baixou 44 cêntimos por litro.
Traduzindo estes números para casos práticos, de forma a termos uma ideia mais cabal desta redução consideremos um depósito de 40 litros que, de certa forma, corresponde à média dos automóveis.
A um de Agosto de 2008, com a gasolina a 1,44€, os 40 litros custavam 57,6 euros. A partir desta semana o mesmo depósito custa 40 euros a encher. E, se deitar o mesmo montante de Agosto, de quase 60 euros, os 17,6 euros, dá-lhe quase para mais 18 litros,o que, para um veículo que, por exemplo, consuma uma média de nove litros aos 100 quilómetros, tem agora combustível para cerca de 200 quilómetros, o que, para a Madeira e o Porto Santo traduz muito.

Gasóelo acompanha

Em relação ao gasóleo, pegando na mesma análise da gasolina, verificamos que os 40 litros de um de Agosto de 2008, custavam 54 euros, já que o litro, nessa altura, fora tabelado em 1,35 euros. Hoje custa 0,88 euros, o que traduz um ganho de 0,47 euros. Quase meio euro.
Passado este tempo, a valores desta semana, os mesmo 40 litros custam 35,2 euros.
Se formos pelo mesmo caminho analítico, e continuarmos a deitar os 54 euros, ficamos com um adicional de 21,4 litros. Com semelhante média de consumo, de nove litros aos 100 quilómetros, fica com uma margem confortável para fazer mais 238 quilómetros.
No que toca ao gasóleo colorido e marcado, utilizado na pesca e na agricultura, de 0,99 euros no primeiro dia de Agosto, passou para 0,54 euros no início desta semana. Há um ganho efectivo de 0,45 euros por litros.
Voltando a fazer a mesma análise, embora, na prática, estejamos a falar de questões diferentes, visto que não se tratam de automóveis mas antes barcos de pesca e veículos agrícolas com depósitos de maior capacidade, verificamos que enquanto a um de Agosto de 2008, os tais 40 litros custavam 39,6 euros, esta semana, passaram para 21,6 euros. Há um ganho real de 18 euros para deitar a mesma quantidade de combustível.

Histórico

Em termos históricos, depois de alguns impasses em fazer repercutir rapidamente os preços do petróleo nos diferentes postos da região autónoma, o Governo Regional decidiu implemetar o formato do regime de fixação de preços máximos dos combustíveis com os primeiros valores a surgirem a um de Agosto de 2008. Na altura, a fixação tinha uma periodicidade quinzenal e recaia em todas as sextas-feiras.
Algum tempo depois, surge um novo formato. A 27 de Outubro passou a ser semanal, e às segundas-feiras. Tudo para corresponder à alteração na fórmula de cálculo do Preço Europeu sem taxas (PE), fornecido pela Comissão Europeia.
Passa a ser calculado com a média ponderada à semana dos preços em 14 países da União Europeia. O que não acontecia, que assentava na média ponderada das quatro últimas semanas, dos preços em 14 países da União Europeia: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Suécia e Reino Unido.

Sem comentários