728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Museus atingem mais de 18.000 likes durante a pandemia

Os museus e espaços culturais do Governo Regional da Madeira têm mantido uma atividade contínua durante o período de confinamento devido à Covid-19, embora cingida às redes sociais do ‘Museu Etnográfico da Madeira’, do ‘Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente’s’, do ‘MUDAS’, da ‘Casa-Museu Frederico de Freitas’, do ‘Universo de Memórias João Carlos Abreu’, do ‘Museu Quinta das Cruzes’, da ‘Quinta Magnólia’, do ‘Solar de São Cristóvão’ e do ‘Centro John dos Passos.
Feitas as contas, entre o dia 13 de março e o início desta semana, há a registar mais de 18 mil likes e partilhas nas redes Facebook e Instagram dos referidos espaços.
Só nas publicações no Facebook, porque abrangem mais espaços museológicos do GR, há a registar mais de 14.500 likes e partilhas, sendo que mais de 2/3 foram likes e menos de 1/3 partilhas. 
Numa análise dos gostos aos seis primeiros com mais cliques, temos, por ordem de grandeza, os seguintes: ‘Museu Etnográfico da Madeira’, ‘Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente’s’, ‘MUDAS’, ‘Casa-Museu Frederico de Freitas’, ‘Universo de Memórias João Carlos Abreu’ e ‘Museu Quinta das Cruzes’.
Por sua vez, no Instagram, e contabilizando apenas os quatro espaços que dispõem de um canal nesta rede social, temos, também por ordem de grandeza o ‘Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente’s’, o ‘Museu Etnográfico da Madeira’, o ‘MUDAS’, e o ‘Museu Quinta das Cruzes’. Nas perto de 200 publicações, há a registar mais de 3.500 likes.
Estes números deixam o secretário regional de Turismo e Cultura satisfeito por duas razões. A primeira pela importância de manter a atividade dos museus e dos centros culturais durante este período, a qual resultou de um trabalho de reprogramação em função da Covid-19.  “Todos os serviços dos museus reinventaram-se e foram capazes de oferecer experiências diferentes com base digital e utilizando as redes sociais e a internet para fazer chegar aos públicos habituais as suas mensagens que eram dadas de forma diferente, presencialmente”, evidencia Eduardo Jesus.
E, depois, em segundo lugar pelos números de likes e partilhas que mostram que, mesmo virtualmente, os espaços museológicos do Governo Regional da Madeira continuam a despertar o interesse de todos nós.
Por isso mesmo, o governante considera que “foi uma realidade muito bem conseguida”, com um número expressivo de iniciativas, de qualidade e de diversidade e que “prova que a oferta cultural dos museus e centros culturais da DRC faz parte da vida dos madeirenses e dos porto-santenses”.

Sem comentários