728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Madeira sobressai no controlo da Covid-19


📷  APM/Francisco Correia  📷
Além de ser, ano após ano, o melhor destino insular da Europa e do Mundo, a Madeira, em Portugal, afirma-se, neste início de 2020, por ser a região do País com menos casos positivos da Covid-19, e com nenhuma morte por ela provocada. É mesmo uma das regiões que registam um melhor comportamento em todo o mundo.

por: Pedro Lima
Uma notoriedade que se junta ao seu histórico de destino turístico acolhedor para os milhares de turistas que o visitam, com tranquilidade, há mais de 200 anos. E ainda pela particularidade de ter sido escolhida como ilha de refúgio do CR7, de onde é natural o melhor jogador de futebol do mundo.
Os últimos dados revelam cerca de 60 casos da Covid-19 na ilha, dos quais 9 já estão recuperados. A ilha já teve sete dias sem casos da Covid-19, o último dos quais na última quinta-feira.
Outra métrica que abona em favor da Madeira é que regista uma média de 21 casos por 100.000 habitantes.

Estes números não acontecem por acaso. Se, por um lado, as pessoas respeitam o confinamento obrigatório nas suas casas, por outro, tudo isso acontece porque o Governo Regional da Madeira começou a trabalhar na prevenção quando o vírus ainda estava longe de Portugal. E essa preocupação continua porque a Região não pode abrandar as suas medidas de contenção.
Do ponto de vista do Turismo, numa 1.ª fase, houve que retirar da ilha as pessoas que nos estavam a visitar. Numa Região talhada para trazer turistas, fazer o inverso, nessa fase, para bem dos residentes e deles próprios para poderem acompanhar a crise nos seus lares, foi a prioridade, tratando os turistas sempre da forma com que a Madeira se afirmou no mundo com a arte de bem receber.

E, para os que chegam, foi implementado pelo Governo Regional o confinamento obrigatório, uma medida inovadora no combate e prevenção à Covid-19, que leva a que todos os passageiros que desembarcam no Aeroporto da Madeira, durante este período pandémico, sejam colocados de quarentena, de 14 dias, em hotéis, prevenindo, desta forma, o contacto entre si e a população, em prol da salvaguarda do interesse de todos e da saúde pública e contribuindo igualmente, desta forma, para ajudar o setor.

O desafio do relançamento

O secretário regional de Turismo e Cultura, da Madeira, Eduardo Jesus, refere que “o turismo é uma atividade que provou durante séculos que tem capacidade para sair de crises, de se reinventar, reposicionar e ganhar novo fôlego, mesmo após circunstâncias adversas”. No entanto, reconhece que “este é um desafio diferente, transversal, que afetou, em todo o mundo, e de forma igual, todos os destinos”.
Eduardo Jesus diz, claramente que, quando chegar o fim desta crise “todos vamos querer sair da melhor forma, colocando-se, então, o desafio que será o do relançamento”. E, enquanto não chega esse momento, “é preciso acautelar o setor, que não pode esperar por esse dia. Há que tomar decisões, mesmo porque este setor estará no fim de linha para o relançamento”.
Refere que tem conversado, “e muito, com os operadores e com as companhias de aviação” e disse que tem mantido reuniões com todo o setor. “Ouvimos todos os operadores. Conversamos quase todos os dias com as companhias aéreas que operam para a Madeira, o que permite decidir o que fazer futuramente”, complementou.

Medidas para apoiar o setor

Como resultado de tudo isso, neste momento, já foram tomadas medidas concretas, para além das nacionais, para auxiliar pessoas e empresas do setor do Turismo na Região Autónoma da Madeira.
O Governo Regional da Madeira tem vindo a implementar um conjunto de ações que visam diminuir o impacto da crise que se instalou devido à COVID-19. 
Concretizou-se um conjunto de decisões tomadas no seio da Associação de Promoção da Madeira, com o propósito de ajudar os respetivos associados, aliviando-os de encargos e reembolsando-os de valores.
Por outro lado, concretizou-se uma importante iniciativa do Governo Regional da Madeira com a aplicação direta a todo o setor do turismo. Trata-se da ‘Linha de Crédito INVESTE RAM COVID-19’, com vigência até 31 de dezembro de 2020, que tem por objetivo apoiar a tesouraria e a manutenção de postos de trabalho do setor empresarial da Região. 
A nova Linha de Crédito tem limite de 100 milhões de euros é destinada a todas as empresas, abrangendo as micro, as pequenas, as médias e as grandes, com a particularidade, única em todo o Portugal, de se poder converter, daqui a 18 meses, num apoio a fundo perdido, representando uma verdadeira e ajustada ajuda às empresas.  

Sem comentários