728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Hotelaria da Madeira continua a perder clientes

Cerca de metade das camas disponíveis na hotelaria madeirense ficaram intactas em fevereiro
📷  Pixabay  📷

Há um decréscimo de 1,8% das dormidas no alojamento turístico no mês de fevereiro do corrente ano, em comparação com o mês homólogo, segundo as primeiras estimativas da atividade turística na Região Autónoma da Madeira. No segundo mês do ano foram registadas 543,7 milhares de dormidas.

Por: Pedro Lima

No acumulado dos dois primeiros meses do ano, as dormidas registaram um decréscimo de 1,4% comparativamente ao período homólogo de 2018.
De sublinhar que excluindo o alojamento local com menos de 10 camas, as dormidas teriam diminuído 3,9% e 3,1% em termos de variação homóloga mensal e acumulada, respectivamente.
No país, as dormidas em fevereiro decresceram 1,0%.

Hotelaria com quebra de 4,2%

As dormidas da hotelaria (82,9% do total do alojamento turístico) apresentaram em fevereiro de 2019 uma quebra de 4,2%, explicado pela variação negativa apresentada nos hotéis e hotéis-apartamentos de 4 estrelas que foi superior à variação positiva verificada no alojamento local.
Em termos acumulados, foram contabilizadas 894,7 milhares de dormidas (-3,5% comparativamente ao período homólogo).

Taxa de ocupação e proveitos

Por sua vez, a taxa de ocupação (cama) do alojamento turístico em fevereiro de 2019 atingiu os 53,9% e os proveitos totais foram cerca de 25,0 milhões de euros, representando um decréscimo de 5,3% em relação a fevereiro de 2018.
De janeiro a fevereiro de 2019, os proveitos totais registaram no conjunto do alojamento turístico um decréscimo de 3,5%.
O sector da hotelaria, no mês em referência, representou 92,9% do total de proveitos do conjunto do alojamento turístico com capacidade igual ou superior a 10 camas e uma taxa de ocupação (cama) de 57,2%.

RevPAR baixa 7,4%

O RevPAR, que mede o proveito obtido por quarto disponível, atingiu em fevereiro de 2019 os 36,93 euros no conjunto do alojamento turístico com capacidade igual ou superior a 10 camas, -7,4% que no mesmo mês do ano precedente.
A hotelaria evidenciou um decréscimo de 7,4%, com um RevPAR de 39,86 euros. A média dos primeiros dois meses de 2019 no conjunto do alojamento turístico foi de 35,47 euros (-5,6% em relação ao período homólogo) e no sector da hotelaria de 38,23 euros (-5,9%).

Mercado britânico baixa, mas pouco

Nos principais mercados emissores do alojamento turístico, as variações estimadas no mês de fevereiro de 2019 para os mercados, alemão, francês e britânico foram de -12,1%, -8,5% e -0,4%, respetivamente.
O mercado nacional aumentou 12,0%.

Resultados provisórios 
– janeiro de 2019

Segundo os resultados provisórios relativos ao mês de janeiro de 2019 foram contabilizadas 530 087 dormidas no total do alojamento turístico da RAM (-1,0% que no mesmo mês de 2018).
A taxa de ocupação-cama de janeiro de 2019 foi de 47,4% (0,1 pontos percentuais acima do anteriormente estimado).
As dormidas da hotelaria na RAM representaram 83,8% do total, com um decréscimo de 2,7% face ao mesmo mês de 2018.

Taxa de ocupação-cama

A taxa de ocupação-cama na hotelaria foi superior (50,3%) à média total. Seis dos municípios da Região registaram evoluções homólogas positivas nas dormidas no conjunto do alojamento turístico no mês de janeiro de 2019: Ponta do Sol (+17,9%), Calheta (+15,9%), Porto Moniz (+15,7%), Câmara de Lobos (+10,6%), São Vicente (+1,1%) e Funchal (+0,3%). Ao invés, os restantes cinco municípios observaram decréscimos, realçando-se Ribeira Brava e Porto Santo, com quebras nas dormidas de 44,7% e 20,6%, respetivamente.

O negócio

Os proveitos totais do alojamento turístico da RAM, em janeiro de 2019, foram cerca de 25,2 milhões de euros (-1,5% em relação ao mesmo mês do ano precedente), dos quais 66,9% corresponderam a proveitos de aposento. Estes, por sua vez, aumentaram 0,9% em comparação com o mês homólogo. O sector da hotelaria, no respetivo mês, representou 93,3% do total de proveitos do conjunto do alojamento turístico com capacidade igual ou superior a 10 camas.
Em janeiro de 2019, o proveito de aposento por quarto disponível (RevPAR) fixou-se em 34,17€ (+8,2% que no mês de janeiro de 2018), enquanto o proveito de aposento por quarto utilizado (ADR) rondou os 63,38€ (+4,0%).

Sem comentários