728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Hoje é dia de visitar a Capela dos Álamos

Uma das pinturas que pode ser vista na Capela de Santana
📷  SRTC  📷
O Projeto “Capelas ao Luar” chega esta noite à Capela de Santana, nos Álamos, freguesia de São Roque. Tal como nas duas edições anteriores, pretende facilitar um conjunto de visitas guiadas a capelas da Região, muitas vezes indisponíveis ao público e possuidoras de referentes artísticos da mais alta importância no panorama das artes e do património cultural regional.

por Paulo Camacho


Organizado pela Secretaria Regional do Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura, o projeto tem acesso gratuito, mediante incrições que poderão ser efetuadas, conforme habitual, através do correio eletrónico capelasaoluar.drc@gmail.com.
Às 21h00 vai acontecer um momento musical renascentista com elementos da Orquestra Clássica da Madeira,.
E, a partir das 21h30, será a visita à capela, guiada pelo Dr. Francisco Clode de Sousa e pelo Dr. Filipe Bettencourt.
Neste dia vai ser ainda lançado um guia patrimonial.
A Capela
A capela de Santana foi fundada em 1607 por Francisco Dias, mercador, filho de Lopo Fernandes e de Ana Fernandes. Casou na Calheta com Maria de Araújo, a 4 de abril de 1595, e tiveram 3 filhos: António Dias de Araújo, Manuel Dias de Araújo e D. Ana, seguindo a administração da capela pelo mais velho.
O fundador da capela faleceu a 9 de maio de 1616, na freguesia da Sé, e fez testamento, através do qual sabe-se que mandou edificar a capela na sua quinta da Água de Mel, cuja toponímia ainda subsiste. Mandou-se sepultar no convento de S. Francisco e não na sua capela, embora nela tenham sido realizados sepultamentos e casamentos.

Destaques

Na capela destacam-se o portal, de arco pleno executado em cantaria, a pia de água benta, em pedra, de estética epimanuelina, o sino com a gravação “MANOELL / ANTONIO / MARTINS / O. FES”, e o chão lajeado.
Mas o grande testemunho artístico é o retábulo de talha dourada com duas pinturas a óleo sobre madeira, coevos da fundação da capela, da primeira década do século XVII.
O retábulo de talha, branco e dourado, é de traça maneirista e de oficina nacional ou de entalhador regional com formação ou conhecimento das obras nacionais.
Na parte central do retábulo está “Santa Ana, a Virgem e o Menino” e na parte superior “Anunciação a Santa Ana”, duas pinturas a óleo sobre madeira, atribuídas ao círculo do pintor português Simão Rodrigues (c.1560-1626) que estadeou em Roma, e integrou a geração dos pintores tardo-maneiristas ou da Contra-Maniera, sendo seu parceiro em muitas obras Domingos Vieira Serrão (c.1570-1632), pintor régio de Filipe III, com obra erudita e de influência italiana.

Programa musical

📷  Pixabay  📷

L´ Orchesographie
(Coleção de danças francesas compilada por T. Arbeau)

Violino: Anahit Dalakyan
Viola d' arco: Marta Morera
Violoncelo: Mikolaj Lewkowicz
Contrabaixo: Gábor Bolba

Gallarda "baisons nous belle"
Branle de Charlotte
Branle des cordeliers
La courante
Branle double
Branle d'Ecosse
Branle Gai
Branle du Haut Barrois
Branle de la Haye
Basse Danse Jouyssance
Branle de l'officiel
As próximas Capelas
11 de maio (sexta-feira), 21h00
Capela de Nossa Senhora do Loreto, Calheta
Momento musical renascentista
Visita guiada por Francisco António Clode de Sousa
17 de Maio (quinta-feira), 21h00
Capela de Nossa Senhora da Conceição, Funchal
Momento musical barroco
Visita guiada por Rita Rodrigues e Francisco António Clode de Sousa

Sem comentários