728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

89 mil madeirenses viajaram pelo país em lazer ou férias em 2016

As visitas a familiares ou amigos pelo país motivaram cerca de 70 mil viagens de residentes na Madeira
(foto Paulo Camacho) 
O número estimado de viagens realizadas em 2016 por residentes na Região Autónoma da Madeira em território nacional, por motivo de “Lazer, recreio ou férias” com duração de pelo menos uma noite foi de 89,0 mil, representando um aumento de 24,6% face a 2015. Estes são números publicados pela primeira vez pela Direção Regional de Estatística da Madeira, no seu portal, que apresentam uma série de dados estatísticos acerca do Inquérito às Deslocações dos Residentes. Permite apurar as viagens e dormidas realizadas pelos residentes pelo país, com desagregação segundo os principais motivos e duração da viagem.

por Paulo Camacho

O Inquérito às Deslocações dos Residentes é uma operação estatística trimestral com recolha telefónica direcionada a uma amostra de alojamentos não coletivos de residência principal.
Segundo os dados acabados de divulgar, constata-se ainda que por motivo de “Lazer, recreio ou férias” 47,6% das viagens efetuadas tiveram uma duração de quatro ou mais noites.
As “Visitas a familiares ou amigos” originaram 64,9 mil viagens em 2016 com duração mínima de uma noite, +26,3% do que em 2015.
47,5% destas viagens registaram uma duração de quatro ou mais noites.
Em 2016, foram estimadas cerca de 204,7 mil viagens para o destino "Região Autónoma da Madeira" realizadas por residentes no território nacional (onde se incluem as realizadas pelos próprios residentes na RAM no seu território) com duração de pelo menos uma noite, sendo que daquelas 83,6 mil tiveram uma duração de quatro noites ou superior.
Comparativamente a 2015, registou-se um aumento de 7,2% nas viagens com duração de pelo menos uma noite, enquanto naquelas com duração de quatro ou mais noites se observou um recuo de 22,3%.

Olhando para o período 2010-2016, é visível alguma irregularidade, sendo particularmente evidente o reflexo da recessão económica de 2012 nas viagens realizadas pelos residentes em Portugal à RAM: 118,2 mil.
No entanto, a partir de 2013, seguiu-se um novo ciclo, de crescimento consistente, atingindo o seu máximo em 2016.
Nas viagens para o arquipélago com duração de pelo menos uma noite, em 2016, constata-se que o motivo “Lazer, recreio ou férias” destaca-se dos restantes, representando 62,6% das viagens, enquanto as “Visitas a familiares ou amigos” concentravam 26,9% e os motivos “profissionais e de negócios”, 9,4%.
Por comparação, em viagens com duração de quatro noites ou superior, a percentagem associada ao “Lazer, recreio ou férias” sobe para os 69,6% naquele ano, sucedendo o inverso nas “Visitas a familiares ou amigos” e nos motivos “profissionais e de negócios que representam 25,5% e 5,0% do total de viagens com aquela duração, respetivamente.
No caso do “Lazer, recreio ou férias”, 53,8% das viagens à região com duração de pelo menos uma noite foram realizadas, em 2016, por residentes no Continente e Região Autónoma dos Açores, enquanto nas  “Visitas a familiares ou amigos” esta percentagem baixa para os 33,4%.
Em 2016, nas viagens com duração mais longa (quatro ou mais noites), as percentagens de viagens realizadas por continentais e açorianos à RAM atingem os 63,9% para o “Lazer, recreio ou férias” e os 66,7% para as “Visitas a familiares ou amigos”.
O ritmo de crescimento das dormidas de viagens turísticas dos residentes em Portugal com destino à Madeira no período em análise não foi uniforme, atingindo o valor mais elevado em 2015 (1 013,9 mil dormidas) e o valor mais baixo em 2012 (638,5 mil dormidas). Pese embora o aumento verificado entre 2013-2015, em 2016, este indicador volta a cair, para as 939,5 mil dormidas, menos 7,3% face a 2015.

Em qualquer dos anos da série, a grande maioria das dormidas tiveram a duração de quatro ou mais noites.

Sem comentários