728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Movimento portuário — Domingo, 12 de novembro

O Oceana da P&O Cruises em mais uma escala pelo Funchal.
(Foto: APRAM)
Domingo, 12 de novembro, o porto do Funchal recebe no cais sul, pelas 06h45, o Oceana que vem de Southampton, sua casa-mãe. Agenciado por Blatas, Lda., zarpará rumo a Santa Cruz de La Palma (Canárias), pelas 17h30.

Por: Paulo Gilberto Camacho

O Oceana, propriedade da Carnival Plc - UK, opera para a P&O Cruises - UK e foi construído nos estaleiros italianos Fincantieri. Lançado à água no ano 2000, sofreu remodelações em 2002/2012/2017. Desloca 77.499 tons de arqueação bruta, mede 262,20m de comprimento por 32,25m de boca (largura) e navega com bandeira das Bermudas.


O tão elegante quão imponente MSC Poesia amarrado na Pontinha, numa das suas escalas pelo Funchal.
(Foto: APRAM)

Pouco depois, pelas 07h00, outro soberbo navio de cruzeiros amarra ao cais sul da Pontinha: trata-se do MSC Poesia que é proveniente de Lisboa. Agenciado como todos os navios da MSC por JFM Shipping, Lda., estará amarrado na Pontinha até às 17h00, momento em que rumará a Santa Cruz de Tenerife (Canárias).
O MSC Poesia lançado à água em 2008, foi construído nos estaleiros Aker Yards (Chantiers de l’Atlantique), França. É propriedade da MSC Crociere para a qual opera. Desloca 92.627 tons de peso bruto e mede 293,80m de comprimento por 32,20m de boca (largura). Navega com bandeira do Panamá e tem como irmãos-gémeos o MSC Musica (2006), o MSC Orchestra (2008) e MSC Magnifica (2010).
Mais um rebocador, feito na Holanda, a caminho de Cuba: o Scorpio II que hoje escala o Funchal.
(Foto: DR)

Por último, à mesma hora, o rebocador Scorpio II, amarra ao cais sul da Pontinha para uma estadia até às 05h00 do dia seguinte. Agenciado por Blatas, Lda., vem de Roterdão (Holanda) e segue para Havana (Cuba).
Das suas características apenas sabemos que mede 26m de comprimento por 8m de boca (largura) e o seu calado regista neste momento 3,7m. Navega com bandeira de S. Vicente e Granadinas.

Sem comentários