728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Cruzeiros vão ter em 2015 mais 20 mil novas camas

O mercado dos cruzeiros continua em crescimento. O relatório anual da Associação Internacional de Empresas de Cruzeiros (CLIA) acerca do estado da indústria de cruzeiros evidencia que para este
ano estão previstos investimentos a rondar os 3,6 mil milhões de euros para novos navios, proporcionando um forte crescimento para 2015.
Em concreto, as empresas de cruzeiros pertencentes à associação vão colocar em operação este ano 22 novos navios e 20 mil novas camas. Seis são navios transatlânticos e 16 são fluviais.
Adam Goldstein, presidente da associação e presidente e COO da Royal Caribbean Cruises diz, a propósito, que estamos vivendo um momento único para a indústria de cruzeiros e passageiros
através da abertura de novos portos em todo o mundo e de empresas que apostam em navios novos e inovadores. Por issmesmo, considera que este ano a indústria «vai dar mais um passo em frente, enquanto os nossos membros continuam a esforçar-se para fazer a melhor experiência de férias em cruzeiros».

23 milhões de passageiros

Em concreto, são esperados que 23 milhões de passageiros embarquem este ano num cruzeiro qualquer, com uma nota a evidenciar que 61% dos agentes de viagens pertencentes à CLIA referem que as reservas para este ano aumentaram em comparação ao ano passado.
Por isso mesmo, a indústria de cruzeiros terá este ano um impacto económico significativo em todo o mundo.
Para termos uma ideia da importância do mercado dos cruzeiros, em 2013, a contribuição económica global da indústria de cruzeiros traduziu-se em mais de 103 mil milhões de euros e contribuiu com cerca de 900 mil postos de trabalho e um total de 33,6 mil milhões de euros em salários.
De uma forma global, as empresas de cruzeiros atraem cada vez mais turistas com a indústria muito atenta a disponibilizar uma oferta abrangente, com cerca de 1.000 portos em todo o mundo, incluindo novos e exóticos destinos que incluem principalmente o mercado asiático que está apresentando um rápido crescimento.

As sete tendências da indústria dos cruzeiros

Existem tendências para a indústria de cruzeiros em 2015. A Associação Internacional de Empresas de cruzeiro (CLIA) identificou sete tendências com base em vários estudos.

Cruzeiros a crescer

A primeira tendência é a evidência de que os cruzeiros continuam a crescer.
Os cruzeiristas não escondem que pretendem continuar a navegar a bordo de um navio de cruzeiros porque estão muito satisfeitos com as experiências anteriores.
O número de repetentes é considerável já que 62% dos cruzeiristas voltam a viajar num cruzeiro e 69% dão aos cruzeiros uma pontuação superior à das férias em terra.
Por isso mesmo, globalmente, a CLIA admite que o número de passageiros de cruzeiros aumente para 23 milhões este ano, representando um crescimento de 4% em comparação com as estimativas para 2014 de 22,1 milhões de passageiros.

22 novos navios

A segunda tendência. Enquanto há poucos anos o maior navio de cruzeiros do mundo tinha capacidade para alguns milhares de passageiros a CLIA aponta que com os 22 novos navios de cruzeiros que vão passar a navegar este ano por mar e rios, a tendência é menos assente no tamanho e mais no fornecimento de projetos e instalações exclusivas.

Segmentos especiais

A terceira. Outra tendência relevante assenta na continuação de aumentar segmentos especiais de cruzeiros, incluindo navios sofisticados, iates de luxo, transatlânticos com charme ou os cruzeiros fluviais mais recentes, que continuam a crescer mais de 10%. Os dados apontam que estes cruzeiros tenham crescido, de 2009 a 2014, a uma taxa de 21% anualmente.

Caraíbas ... e os outros

A quarta tendência. De realçar, ou talvez não, é que as Caraíbas continuam a centrar a indústria de cruzeiros com mais de 1/3 da capacidade em todo o mundo em 2015. Já se falou que estavam a ficar saturadas mas a verdade é que continuam a ser um ideal para quem pretende fazer um cruzeiro.
Não obstante, os viajantes de cruzeiros estão a ter vistas mais largas. Neste âmbito, o Mediterrâneo continua a crescer como um destino, assim como a Ásia e a Austrália. Para se ter uma ideia, em 2015, 52 navios vão oferecer 1.065 cruzeiros na Ásia, traduzindo uma capacidade de transporte de 2,17 milhões de passageiros.

Experiências globais

A quinta tendência. Uma nota de registo é que a indústria de cruzeiros está a verificar um aumento dos passageiros que procuram experiências globais. Por isso mesmo, a indústria de cruzeiros tornou o mundo mais acessível do que nunca.

Infliuentes

A sexta tendência. Não menos importante do que já referimos é que, pede embora a internet e os dispositivos móveis tenham vindo a mudar a forma como os consumidores fazem compras, os agentes de viagens ainda continuam a ser o melhor e o mais popular canal na altura de reservar um cruzeiro. Os números apontados pela CLIA evidenciam que sete em cada 10 passageiros (70%) vai a um agente de viagens para planear e reservar as suas férias a bordo de um cruzeiro.

Amntecipar as exigências

A sétima tendência. Finalmente, quando se trata de viajar, os consumidores têm hoje mais do que nunca o controle.
Assim, a indústria de cruzeiros está a responder às necessidades dos consumidores com inovações importantes, tais como Wi-Fi em todo o navio, conectividade móvel, serviços projetados para cada geração de passageiros, ou cruzeiros temáticos ou gastronómicos.

Sem comentários