728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Transavia com 744 lugares por semana do Porto

A vice-presidente da companhia, Helen Abraham, à esq., e Conceição Estudante
(foto: Paulo Camacho)
A secretária regional do Turismo e Transportes diz que se encerra agora uma etapa nas ligações aéreas entre a Madeira e as duas principais cidades nacionais: Lisboa e Porto. Conceição Estudante falava à chegada à Região Autónoma, depois de ter estreado a primeira ligação da Transavia.com, entre a cidade nortenha e a Madeira, que decorreu ontem ao princípio da tarde. Um voo tranquilo de duas horas e cinco minutos, com o Boeing 737-800 a tocar no Aeroporto da Madeira cerca das 16h30.

Sem esconder a sua satisfação por poder adicionar mais 744 lugares por semana em cada sentido nas quatro ligações semanais (domingo, segunda-feira, quarta-feira e sábado) que a companhia francesa se propõe fazer nesta primeira fase, a governante madeirense explicou o que pretendia dizer com o encerrar do ciclo. Lembrou que tudo começou com o fim das obrigações de serviço público, que completam dois anos em Abril próximo. Em Outubro de 2008, a Easyjet inaugura as suas ligações regulares entre Lisboa e a Madeira. E, agora, este voo do Porto, que tem a particularidade de ser corrido. Ou seja, tem origem em Paris ou Nantes, escala o Porto e o avião segue viagem para a Madeira. No regresso, dá-se o processo inverso.

A primeira escala no Aeroporto da Madeira
(foto: Paulo Camacho)
Com esta fase fechada, admitiu que outras se seguem, embora não revelasse quais.
Conceição Estudante espera que a nova ligação tenha vários resultados. Que permita um mercado concorrencial, originando tarifas mais em conta, e com com isso potencie a vinda e ida de mais pessoas ao Porto e ao norte e tenda a inverter o que sublinha ser a tendência da linha que a TAP tinha sozinha até esta altura, que se traduziu em cerca de 200 mil passageiros, com sinais de abrandamento.
Neste propósito, recordou a linha de Lisboa da easyjet, que contribuiu decisivamente para o crescimento de 17% no Aeroporto da Madeira em 2009, comparativamente ao ano anterior.
Como curiosidade, podemos evidenciar que uma boa parte dos passageiros que ontem embarcaram no Porto eram de Espanha, potencialmente de Vigo, pelo que a governante reconheceu que é um sinal que a aposta nesta linha alternativa está já a dar resultados no primeiro voo.

Helene Abrahm reconheceu que a nova linha da Transavia.com constitui um desafio
Pela parte de Helene Abrahm, vice-presidente da transportadora e companheira de cadeiras no voo TO 3404 (vinha no lugar 1C e Conceição Estudante no 1A), reconheceu na conferência de imprensa que se realizou depois de aterrar na Madeira, que a nova linha da Transavia.com constitui um desafio para a transportadora com raízes antigas na Transavia holandesa, mas de criação efectiva muito recente. Com capital partilhado pela Air France (60%) e pela KLM (40%), fez o seu primeiro voo precisamente para a cidade do Porto, a 12 de Maio de 2007.
Foi uma oportunidade para abordar realidades da Transavia.com, onde sobressaem índices de satisfação acima das low cost concorrentes. Índices de satisfação do serviço, da companhia, do pessoal de cabine, das vendas a bordo (porque tudo é vendido, onde uma refeição semlhante à oferecida pela TAP anda pelos 9 euros) e na relação preço qualidade.
São dados que podemos comprovar ontem mesmo no voo inaugural que tivemos oportunidade de fazer. Um senão poderá ser a língua. Apenas falam a bordo o francês e o inglês. Mas, tirando isso, o avião que nos transportou aparentava ser novo.
Além disso, Helene Abrahm não escondeu a vontade de crescer a oferta para um voo diário que poderá evoluir para mais. Como negócio que é, tudo dependerá da procura. Uma leitura que Conceição Estudante também vê com bons olhos.
Em termos concretos, a Transavia.com espera transportar 60 mil passageiros no primeiro ano na rota Porto-Madeira-Porto. No total, no actual quadro de ligações, serão 400 voos semanais durante 2010.
Como curiosidade podemos evidenciar que os dois voos de ontem tiveram uma procura de 75 por cento, o que deixou satisfeita a vice-presidente da companhia aérea francesa.

Sem comentários