728x90_Home_Active Campaign ]]> - - - -

últimas notícias

Números nacionais revelam estratégia acertada

Os 19% de crescimento de turistas no mercado português no mês de Setembro, que corresponde a uma taxa evolutiva de cerca de 15% desde o início do ano, é uma realidade que, do ponto de vista da estratégia delineada pela Secretaria Regional do Turismo e Transportes é a que mais agrada a Conceição Estudante, governante com a tutela do sector. “Significa que a estratégia de desenvolvimento do turismo interno para um ano de crise internacional foi acertada e que continua a produzir os seus efeitos”.


A secretária regional do Turismo e Transportes reagiu ontem aos números do Instituto Nacional de Estatística acerca dos números do turismo de Setembro.
Conceição Estudante considera que, para além de todos os dados, o que é importante é analisar o movimento dos mercados. Neste sentido, sublinha que, desde Janeiro, a taxa de diminuição tem vindo a decrescer.
Além disso, considera que o movimento de Setembro evidencia que a Madeira continua a ter o mercado português com mais 19% que o mês homólogo.
Por outro lado, refere que os valores globais da dimuição ao longo do ano se situam, nas receitas, nas dormidas e nas entradas, em 11 por cento. Uma componente que em seu entender traduz uma diminuição da diferença entre o valor do decréscimo do número de hóspedes e o valor da diminuição das receitas.
Perante este cenário entende que estamos perante uma recuperação dos preços praticados na hotelaria, ainda que admita que sejam ainda baixos, mas não tão acentudados como em Janeiro.
Deste modo, admite que há uma retoma de confiança.
Em relação aos 19% de crescimento do mercado português no mês de Setembro, que corresponde a uma taxa evolutiva de cerca de 15% desde o início do ano, sublinha que é uma realidade que, do ponto de vista da estratégia delineada pela Secretaria Regional do Turismo e Transportes é o que mais agrada a Conceição Estudante. Isto porque “tem um significado que a estratégia de desenvolvimento do turismo interno para um ano de crise internacional foi acertada e que continua a produzir os seus efeitos”, refere a governante.
Acerca deste crescimento, admitiu, contudo, que não será fácil mantê-lo no futuro.

Sem comentários