últimas notícias

Percorrer o Caminho Real 23 com concerto bónus na floresta

Um dos momentos altos da caminhada, um concerto a meio da floresta
📷  Associação do Caminho Real da Madeira  📷

O
Caminho Real 23, na freguesia da Ribeira da Janela, concelho do Porto Moniz, na ilha da Madeira, foi percorrido por cerca de 80 caminheiros na manhã deste sábado.

por Paulo Camacho
Parte da caminhada de 4 km, que decorreu este sábado, no Caminho Real 23
📷  Associação do Caminho Real da Madeira  📷

Segundo o presidente da direção da Associação do Caminho Real da Madeira, Miguel Silva Gouveia, nos 4 km de percurso, desde a foz da Ribeira da Janela até à Ribeira das Furnas, houve a possibilidade de conhecer um pouco da história da freguesia e de apreciar as estruturas lávicas que constituem um geossítio local. Além disso, foi possível visitar a igreja da Nossa Senhora da Encarnação, deslumbrar-se com as vistas panorâmicas sobre a costa Norte e sentir no corpo as dificuldades no transporte de pessoas e bens a que estavam sujeitos os nossos antepassados.

Concerto na Ribeira das Furnas
No concerto na Ribeira das Furnas, que serve de partilha entre as freguesias da Ribeira da Janela e do Seixal, estavam mais de uma centena de entusiastas do Caminho Real que deliciaram os sentidos com os sons da dupla de artistas Sarah Borges e Caio Oliveira. Ofereçam, num palco de natureza, 45 minutos de musicalidade, em fusão perfeita com a exuberância vegetal da floresta Laurissilva.
Miguel Silva Gouveia refere que este foi o segundo de 4 concertos em colaboração com a Associação Retoiça previstos para este ano, com o objetivo de aliar a cultura à promoção dos Caminhos Reais da Madeira.
Com a concretização de mais esta iniciativa, a Associação do Caminho Real da Madeira expressa “sinceros agradecimentos ao município do Porto Moniz e à Junta de Freguesia da Ribeira da Janela, cujos estimados contributos permitiram a realização de mais um evento de sucesso”.

Ribeira da Janela
A Ribeira da Janela, em primeiro plano, e a costa norte da ilha da Madeira
📷  Associação do Caminho Real da Madeira  📷
A Ribeira da Janela, antes “Janela da Clara”, recebe o nome do ilhéu empedernido em frente à foz do mais extenso e abundante curso de água da Madeira.
É das freguesias menos populosas, contando apenas com 228 pessoas cuja alcunha coletiva os designa por “Rabichados”.
Nas serras desta freguesia bate o vetusto coração da Laurissilva, o Fanal, famoso pela sua lagoa e pelos seculares tis, alguns dos quais necessitam de cerca de dez pessoas de mãos dadas para circunscrever o tronco.
A Ribeira da Janela teve uma primitiva ermida de invocação a Nossa Senhora da Encarnação, que já existia em 1558 e que, segundo a tradição, foi destruída por um aluvião. Nos finais do século XVII, em 1699, o povo ergueu uma capela que passou por uma completa transformação, mantendo-se o traço original, até aos dias de hoje.
Foi nesta freguesia que, em 1940, se instalou a primeira armação baleeira na Madeira com a construção de um “traiol” (estação rudimentar para a extração do óleo pelo meio de panelas de grande dimensão, assentes sobre fogo direto) localizado a Este da foz da ribeira com a colaboração de baleeiros açorianos.

Associação do Caminho Real da Madeira
gallery/acrm logotipo vários - site
A Associação do Caminho Real da Madeira, constituída formalmente no dia 17 de fevereiro de 2017, tem como fim defender, valorizar e promover as rotas centenárias agregadoras do património histórico, etnográfico, cultural, arquitectónico e natural da Madeira, em contextos urbanos, rurais e florestais, através de actividades de caráter cultural, pedagógico, científico, desportivo, recreativo, social ou outras afins,

Sem comentários