últimas notícias

Royal Caribbean vende Madeira como ilha sem praias

O Indepence of the Seas numa aproximação ao Porto do Funchal quando ainda havia o muro na avenida
📷  Paulo Camacho  📷

Este é o pior mês do ano no movimento de navios de cruzeiros no Porto do Funchal. Só está marcada a escala do Independence of the Seas no próximo dia 12, numa passagem muito curta, como é normal neste paquete da Royal Caribbean Cruises.
É esperado pelas 7 horas e deixa o porto às 15 horas.

por Paulo Camacho

No programa apresentado para este cruzeiro de 14 noites, verificamos, mais uma vez, que a Madeira não é tida nem achada na designação, pomposamente chamado “Canaries Adventure”. Contudo, dos 14 dias de viagens, apenas 4 são em ilhas de Canárias, o que só por si motivou à companhia chamar assim ao cruzeiro.

Ilha “sem” praias


Mas se esta vertente temos de admitir que é uma opção de marketing, com toda a subjetividade que isso carrega, há um detalhe que não está correto na descrição da escala na Madeira. Diz assim, textualmente, referente ao 11.º dia de viagem: “A Madeira é uma delícia, quer esteja a passear na cidade do Funchal ou a apreciar a vista do teleférico na montanha. Apesar de um cenário tropical de flores, árvores frutíferas e plantas exuberantes, esta ilha vulcânica não tem uma praia”. Se estivesse a referir que não tem uma praia de areia dourada, autêntica, estaríamos de acordo. Mas o que não faltam são praias naturais, umas de calhau e outras de areia preta. Evidentemente tem outras de areia amarela, mas são feitas pelo homem. Embora discorde da opção por este tipo de praias, a verdade é que mesmo estas existem.
Tirando isto, uma ilha com uma riqueza pujante, com as suas levadas, a floresta laurissilva, o Jardim Botânico e o Mercado dos Lavradores, só para dar alguns exemplos, ficar reduzida a aquela descrição estaremos todos em sintonia que é uma visão redutora do destino considerado o melhor destino insular da Europa e do mundo.

A viagem

O navio parte de Southampton, no sul de Inglaterra, no dia 2, e ali regressa no dia 16. Depois da cidade britânica passa em Vigo (Espanha), Lisboa, Portugal, Cadiz (Espanha); Arrecife, Lanzarote (Canárias, Espanha), Grã Canária (Canárias, Espanha), Tenerife, (Canárias, Espanha), Santa Cruz de La Palma (Canárias, Espanha), Funchal,Corunha, (Espanha), e Southampton.
O Independence of the Seas tem capacidade para 3.634 passageiros e 1.365, o que dá um rácio de 3:1.

Sem comentários