√ļltimas not√≠cias

Sindicato confia no novo CEO da TAP e desconvoca greves

Antonoaldo Neves diz que sem as greves a TAP pode cumprir com todos os que confiaram nela
ūüď∑  Paulo Camacho  ūüď∑
Um voto de confian√ßa √† nova administra√ß√£o” da TAP. Este foi um dos argumentos apresentados ontem pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Avia√ß√£o Civil para desconvocar o pr√©-aviso de greve dos tripulantes de cabine da companhia. Estavam na calha quatro pr√©-avisos de greve, o primeiro dos quais entre 9 e 11 de fevereiro. Tinham sido apresentados ainda pr√©-avisos para paralisa√ß√Ķes mensais e mais duas greves parciais para opera√ß√Ķes de m√©dio e longo curso a partir de 28 de mar√ßo.

por Paulo Camacho

Em cima da mesa estavam igualmente pr√©-avisos para uma paralisa√ß√£o mensal e duas greves parciais para opera√ß√Ķes de m√©dio e longo curso a partir de 28 de mar√ßo.
Esta quarta-feira, no dia em que passou a ser o novo CEO da TAP, Antonoaldo Neves havia dito que o diálogo haveria de trazer boas notícias, o que acabou por acontecer, o que é caso para dizer que entra com o pé direito.
O novo presidente executivo da TAP, mostrou-se, por isso, satisfeito com a retirada do pr√©-aviso de greve dos tripulantes de cabine. Da√≠ afirmar que queria reconhecer este gesto dos tripulantes de cabine como um "voto de confian√ßa, a mesma que deposito em todos v√≥s”.
Antonoaldo Neves disse assim , a companhia pode cumprir com todos aqueles que confiaram nela para fazerem as suas viagens e “preservar a sua, nossa, imagem, contribuindo para fortalecer o futuro de todos n√≥s”.
Aliás, se nos recordarmos, os primeiros tempos de Fernando Pinto, que antecedeu no cargo o novo CEO, também estavam a ser marcados por greves.
No caso presente, sabe-se que foi celebrado um protocolo entre a TAP e o Sindicato, acerca da utiliza√ß√£o dos avi√Ķes Airbus A330-300, divulgado aos associados e aprovado ontem em assembleia geral.

Sem coment√°rios