últimas notícias

Opinião: Ícones do avião "Stopover" não retratam destinos do programa


A TAP criou há cerca de um ano o programa Portugal Stopover com o qual pretende que os clientes conheçam Porugal no intervalo de escalas das suas longas viagens. Surgiu em julho de 2016 apenas para as escalas nas cidades de Lisboa e do Porto.

por: Paulo Camacho

Já este ano, a companhia decidiu abranger igualmente a Madeira, os Açores e o Algarve.
A completar o primeiro aniversário, a transportadora decidiu fazer um upgrade onde sobressaem dois pontos: de 3 dias de Stopover passa para 5 a partir de setembro próximo. E passa a ser possível beneficiar do programa mesmo para quem faz um trajeto, sem necessidade do ida e volta.

E, para assinalar o aniversário a TAP decidiu pintar um Airbus A330 com motivos de Portugal.

Olhando para os ícones que a companhia pretendeu relevar de Portugal, merece-me um comentário crítico.
Em primeiro lugar porque vejo claramente dois emblemas das cidades de Lisboa e do Porto, concretamente a Torre de Belém (Lisboa) e a Ponta D. Luís (Porto). Não vislumbro mais nenhum dos destino que inclui no programa. Há a guitarra portuguesa, que é um marco indiscutível de Portugal, o Coração de Viana, o elétrico e as sardinhas estilizadas, que são vincadamente nacionais.
E depois existem ícones que podem ser transversais, como o mar, o sol, as andorinhas, as estrelas do mar, o que parecem ser oliveiras, a onda do mar para o surf, o golfe e uvas, que também serão transversais a outros países. E mesmo as uvas, embora o vinho do Porto e da Madeira, assim como os vinhos tinto e branco sejam feitos de uvas, a verdade é que Portugal não é conhecido pelas suas uvas e sim pelos seus vinhos, quer sejam licorosos ou de mesa. 

Olhando para um lado e outro, não vislumbro nada da Madeira, dos Açores e do Algarve, o que, a meu ver, é demasiado centralizador no Programa Stopover, ainda por cima quando o aparelho é entregue agora à TAP e haveria tempo para refletir.

Esta visão não é regionalista antes assenta no pressuposto de que um destino como Portugal é a soma de micro-destinos como a Madeira, os Açores, o Algarve, e igualmente das cidades de Lisboa e do Porto, que não são o seu todo.

Pode também ver o vídeo feito para a companhia com o avião pintado com Portugal Stopover.

Sem comentários