últimas notícias

Junho animador nas férias dos portgueses

Os portugueses continuam a aproveitar oportunidades para viajar
(foto: Pixabay)
O mês de Junho, que marca o início das férias de Verão, registou uma procura de viagens de férias que excedeu as expectativas do sector, confrontado também ele com a crise económica global sem paralelo.


Apesar da conjuntura desfavorável, os portugueses continuam a aproveitar as oportunidades para fazerem férias, quer para o estrangeiro quer dentro do País, como o demonstram os indicadores já conhecidos em relação ao mês de Junho, que este ano propiciou umas mini-férias pelos feriados dos dias 10 e 11.
A título de exemplo, quando comparado com o mês homólogo do ano passado, o número de portugueses que viajaram em Junho para Cabo Verde cresceu mais de 150%, para Burgas (Bulgária) situou-se em torno dos 130%, para Antalya (Turquia) e Marrakech (Marrocos) foi superior a 200%, para a República Dominicana mais que duplicou, para Cuba foi de mais de 30% e para a Jamaica situou-se torno dos 20%.
Em Espanha, um dos principais destinos de férias dos portugueses, segundo as estatísticas oficiais (INE), o turismo português foi o que mais cresceu entre os principais emissores, tanto em número de hóspedes (+9,1%) como em número de dormidas na hotelaria (+19,5%), o que contrasta com quedas médias dos mercados internacionais de 9% em número de hóspedes e de 6,3% em número de dormidas.

Madeira cresce 22,7%

Relativamente aos destinos portugueses, tanto no Continente quanto nas Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, que este ano ocupam de forma mais evidente as montras das agências de viagens, também se tem feito sentir um crescimento da procura, embora ainda não contabilizado.
À partida de Lisboa, por exemplo, apesar de um queda média de 4,7% no número total de passageiros no aeroporto, o tráfego para destinos domésticos cresceu 10,8% , com destaque para a Madeira, que teve um crescimento de 22,7% em Junho, Ponta Delgada que teve mais 9,5% e Terceira com mais 3,7% .
A crise económica levou os operadores turísticos nacionais a reajustar a oferta para este Verão a uma procura previsivelmente mais contida, designadamente através de uma maior oferta de pacotes turísticos de menor risco (em auto-férias para os destinos portugueses e em voos de companhias regulares), bem como a intensificarem as promoções nas operação de “lazer puro” (charters), como forma de estimularem os consumidores.
Estas circunstâncias, aliadas às incertezas que a crise económica e a pandemia da Gripe A criam nas famílias quanto a despesas de bens de consumo e a deslocações, resultaram num acentuar da tendência de compra “last minute”, que também lhes tem permitido aproveitar as melhores ofertas disponíveis nas agências de viagens.

Portugueses aproveitam oportunidades 

“Os portugueses continuam a aproveitar todas as oportunidades para viajar e estes resultados, que demonstram bem essa característica, são naturalmente animadores”, afirma o presidente da APAVT, João Passos, acrescentando que “por outro lado, mostram também a maturidade dos nossos turistas face à questão da gripe A, à qual não se devem afectar quaisquer destinos”. “O risco é global, aconselhamos os clientes a tomar as precauções recomendadas pelas entidades oficiais, mas a própria Organização Mundial de Saúde rejeita o desaconselhamento de viagens”, continua.
Apesar de animado com este início do Verão, João Passos diz que a APAVT mantém-se preocupada relativamente ao negócio das suas associadas. “Como tenho repetidamente afirmado, não podemos iludir-nos com índices de ocupação ou de vendas, pois é preciso também analisar a que preços são conseguidos”, conclui.
Para o turista português, contudo, 2009 afigura-se como um dos anos de melhores ofertas para viajar, seja para fora como dentro de Portugal.

Sem comentários