últimas notícias

Museu Etnográfico assinala 20 anos com doçura

O Museu Etnográfico da Madeira comemora hoje 20 anos em prol da investigação, salvaguarda e divulgação do património cultural tradicional, material e imaterial, numa perspetiva de valorização da identidade cultural madeirense.
O espaço museológico foi instalado numa antiga casa solarenga do século XVII, que no século XIX foi transformada numa unidade industrial, a Antiga Fábrica de Aguardente da Ribeira Brava. Tendo sido recuperado o edifício e os equipamentos tecnológicos deste testemunho do património arquitetónico e industrial, foi decidido assinalar esta data dando especial relevância à interpretação museológica dos testemunhos desse antigo engenho de açúcar.

Neste sentido, e para assinalar o 20.º aniversário, o museu apresenta ao público um programa de atividades, que se prolongam por três dias (15, 16 e 17), com referências temáticas ao processo de transformação da cana-de-açúcar.

Hoje
Para hoje, as celebrações têm como tema central a “Moagem”, iniciando-se pelas 11 horas com a abertura da Exposição “Património Imaterial: Sons da Nossa Gente - Castanholas da Tabua”, com o objetivo de divulgar uma tradição ancestral que faz parte do Património Cultural imaterial da comunidade da Tabua, associada aos conhecimentos e a um saber fazer local, que representa a herança cultural de gerações passadas.
A ideia visa estabelecer uma relação estreita entre o campo material e imaterial dentro do contexto museológico, salientando a importância da vertente imaterial na interpretação da coleção em exibição.
Às 16 horas será a inauguração da exposição “Património material e imaterial da cultura popular madeirense”.
Recorde-se que para assinalar este aniversário, os serviços educativos do museu lançaram um desafio à comunidade, promovendo um concurso de ilustração, iniciativa que visa a divulgação da identidade Etnográfica Regional e reforço do interesse público relativamente ao nosso património material e imaterial. Hoje será inaugurada a mostra dos trabalhos apresentados a concurso, seguindo-se a entrega de prémios.
Também às 16 horas, será inaugurada a mostra sobre a “Interpretação museológica” da “Antiga Fábrica de aguardente da Ribeira Brava”.
Pelas 17 horas terá lugar o lançamento do livro “O Engenho”, uma edição da Direção Regional da Cultura DSMPC/Museu Etnográfico da Madeira, seguindo-se a apresentação ao público de “Doc.se.016”, documentário sobre as atividades desenvolvidas pelos serviços educativos do MEM nos últimos 10 anos.

Amanhã
Na quinta-feira, o programa de comemorações do aniversário do Museu decorrerá sob a temática da “Fermentação”, realizando-se, pelas 11 horas uma palestra sobre “A transformação do açúcar” com a participação de Alberto Vieira - Centro de Estudos de História do Atlântico, Margarida Camacho – Casa Museu Frederico de Freitas e Luís Faria – Engenho do Porto da Cruz (Antiga Companhia de Engenhos do Norte).
Às 14h30 terá lugar um workshop sobre “Doçaria Tradicional“ organizado pela Fábrica do Ribeiro Sêco e, por volta das 16 horas decorrerá uma prova de aguardentes (rum) promovida pelo Engenho do Porto da Cruz (Antiga Companhia de Engenhos do Norte).

Sexta-feira
Finalmente, na sexta-feira, sob o tema geral da “Transformação”, o dia será dividido em dois momentos: a “Hora Aguardente” e a “Hora Mel”.
A “Hora Aguardente inicia-se pelas 10h30 com o workshop “Sons da nossa gente”. Integrado no tema do Património Imaterial, no espaço do Museu estará o artesão Arlindo Lourenço, que vai trabalhar ao vivo na construção de castanholas. Será acompanhado por um elemento do grupo de castanholas da Casa do Povo da Tabua, que irá proceder à demonstração dos diferentes toques destes instrumentos de percussão.
Pelas 16 horas atuará o Grupo de Castanholas da Casa do Povo da Tabua, numa atuação que vai decorrer pelas ruas da vila desde o Forte de S. Bento até ao museu.
Já a “Hora Mel” vai decorrer a partir das 17 horas com várias atuações musicais no jardim do museu, nomeadamente da Banda Municipal da Ribeira Brava, do Grupo Coral da Câmara Municipal da Ribeira Brava, do Grupo de Cordas da Casa do Povo do Campanário e do Grupo de Folclore da Ribeira Brava
O encerramento das celebrações dos 20 anos do Museu terá lugar a partir das 21 horas de sexta-feira com um espetáculo a cargo do Conservatório - Escola Profissional das Artes da Madeira Engº. Luíz Peter Clode (Núcleo da Ribeira Brava).

Sem comentários