últimas notícias

Turista terá nadado para apanhar Marco Polo

Não é normal acontecer na Madeira como também não o é suceder em outra parte qualquer parte do mundo. Perder o embarque num navio de cruzeiros e depois tentar remediar atirando-se ao mar noutro ponto mais adiante para o apanhar convenhamos que deve ser um caso bem singular. Mas terá sido isso mesmo que aconteceu ontem à noite com uma passageira inglesa, de 65 anos, que não chegou a tempo da partida do paquete Marco Polo que ontem fez uma escala solitária à Madeira e que deixou o porto pelas 20 horas, rumo a Lisboa. No entanto, fala-se que a turista terá mesmo optado por não comparecer e querido regressar à Inglaterra de avião.


Daí o facto de estar em Santa Cruz, a leste do litoral sul da ilha, onde fica o Aeroporto Internacional da Madeira, não muito longe do limite da Madeira.

No entanto, ao ver ao longe o Marco Polo, que tinha de passar por ali, embora muito afastado da costa, para rumar a Lisboa, a viajante ter-se-á dirigido à beira-mar, entrado mar e optado por nadar para tentar apanhar o navio, ainda por cima, sempre agarrada à mala de mão. Mesmo que o navio estivesse parado já era obra. E então tendo em linha de conta que o paquete já deveria estar a navegar à velocidade de cruzeiro, que é de 19,5 nós, pouco mais de 36 quilómetros por hora, e que um humano normal nada a cerca de 4 quilómetros por hora, estávamos perante uma corrida desigual. Penso que nem o Tarzan o apanharia.

O comandante da Capitania do Porto do Funchal, Félix Marques, explicou que, por volta da meia-noite, a tripulação de um pequeno barco de pesca ouviu-a gritar e acabou por a socorrer, depois de ter estado perto de quatro horas no mar. Encontrava-se a cerca de meio quilómetro da costa. Foi transportada para a zona de São Pedro, no concelho de Santa Cruz.

A passageira acabou por ser socorrida e transportada para a zona de São Pedro, em Santa Cruz, não muito longe do aeroporto.

Os Bombeiros Municipais de Santa Cruz fizeram depois o transporte da turista, que estava bastante debilitada, para o Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, onde ficou internada.

Sem comentários