últimas notícias

Jesus revela mexida na legislação turística

O destino Madeira cresceu em 2015 no número de dormidas e em hóspedes e em valor. Uma cereja no topo do bolo evidenciada ontem à tarde em Lisboa pelo secretário regional da Economia, Turismo e Cultura durante a tradicional conferência de imprensa para o mercado continental que acontece no primeiro dia das edições da Bolsa de Turismo de Lisboa. Foi uma oportunidade para Eduardo Jesus dizer na capital o que havia revelado no Funchal que a Madeira no ano passado teve o melhor ano turístico de sempre e superou todas as expetativas.

“Tivemos um aumento dos proveitos na ordem dos 12% e na hotelaria na casa dos 10%, o que nos fez crescer bastante o RevPar, que era um dos aspetos em que estávamos empenhados, porque sem um rendimento por quarto disponível atrativo, não há investimento que se possa captar para a Madeira, nem tão pouco se pode fazer a requalificação do que temos”, complementou o governante.

O ano passado, o destino Madeira obteve cerca de 6 milhões de dormidas e 1,5 milhões de entradas, o que correspondem a crescimentos na ordem dos 6%, o que traduziu mais consumo na região, muito benéfico para a economia local.

Mas o objetivo é de manter o mesmo crescimento com novas ações.

O responsável pelo Turismo da Madeira sublinhou que apesar de ter sido o melhor ano turístico para a Madeira, “não significa que atingimos um objetivo e estamos satisfeitos. Somos saudavelmente insatisfeitos”. Por isso, considera que este é o momento certo para implementar uma série de ações que têm de ser desencadeadas para requalificar o destino, não só nos hotéis e na oferta turística complementar, como também investir na formação das pessoas. A ideia, referiu, é “aproveitar a boa maré em que estamos e a questão geopolíticas que influenciam o Mediterrâneo nos dar um espaço que tem de ser conquistado”.

Há igualmente a intenção de estreitar relações com a Organização Mundial de Turismo com projetos piloto que o Turismo está a desenvolver. Além disso, revelou que está a ser desenvolvida legislação própria, preparada para profissionais de informação turística e requalificação dos empreendimentos, o que acontecerá durante o primeiro semestre do ano.

Outro ponto a empreender será atuar sob o ponto de vista da sustentabilidade do destino.

Sem comentários