últimas notícias

Co-criadora do “I love NY” diz que virtual nunca substitui vivências

Peggy Bendel, à esquerda na imagem, durante a Conferência Anual do Turismo de 2010 na Madeira
Peggy Bendel, especialista mundialmente reconhecida em marketing de viagens, comunicação de crise e formação de media, com clientes em todo o mundo, disse estar confiante que as pessoas «vão querer sempre interagir com seus pares ao redor do mundo em número suficiente para manter o turismo nos altos escalões das indústrias criadoras de emprego».

Aquela que é uma das figuras centrais da equipa que criou a emblemática frase “I love NY”, por conhecer a Madeira, onde esteve em 2010 como cabeça de cartaz na Conferência Anual do Turismo, disse: "Não há nenhum substituto virtual para a emoção de andar ao longo das levadas, para beber bom vinho da Madeira nas mesmas caves que o guarda há séculos, para degustar o delicioso peixe, preparado com ervas e vegetais locais, para fazer novos amigos, além de ser acolhido de forma calorosa pelas pessoas na ilha".
Peggy Bendel, que começou a sua carreira como escritora de viagens no Estado de Nova Iorque, e que trabalhou no desenvolvimento económico e comércio internacional, bem como o turismo, admite: "A visita virtual pode ser, e eu acredito que acontecerá, uma introdução para uma visita real... mas haverá mais e mais competição".

Deu o exemplo de Cuba: "Agora que Cuba está mais aberta para os viajantes norte-americanos, muitas ilhas das Caraíbas estão preocupadas que a sua proximidade e o recém-disponível apelo que vai atrair os viajantes para Cuba, em vez de férias tradicionais de praia em ilhas mais familiares".
Mas será que os destinos tradicionais, como Nova Iorque, Paris, Londres e a Madeira, podem estar em risco, não tanto por possíveis apostas no virtual, mas antes pelo aparecimento de novos destinos? A resposta, a partir de Nova Iorque, é pronta: "Esta é quase uma certeza". Referiu que um dos seus novos clientes é a Iran Luxury Travel. "Com as mudanças no Irão, e o potencial de um acordo internacional sobre a proliferação nuclear, as sanções serão levantadas e os juros já estão crescendo". Acentuou que aqui nunca foram as sanções sobre viagens para ao Irão que impediram os norte-americanos de visitar o país do médio oriente, ao contrário de Cuba, mas antes porque "muitos americanos sentiram que lá não seriam bem-vindos, até recentemente".
A presidente da Bendel Communications International acrescenta ainda que num período de 50 anos podemos ainda ter viagens interplanetárias. Quem sabe? Admite que o turismo tem potencial para ser muito mais "verde" do que é agora, com as companhias aéreas já a experimentarem biocombustíveis, e os hotéis a procurarem a certificação Leed para a sua construção sustentável.
Sublinha que uma grande ameaça potencial para o turismo "é a mudança climática, que é inegável".
Outra ameaça "é a destruição do habitat".

Sem comentários