últimas notícias

Conceição Estudante acentua ser preciso pensar o Turismo para a próxima década

A secretária regional do Turismo e Transportes diz que o POT, ao acabar em 2012, 2011 será o ano de início do processo de revisão. "Há que pegar em todo esse documento e em todas as análises que fez e projectou e pensar o futuro do Turismo da Madeira para a próxima década."
Tem falado ultimamente em reorientações de rumos, onde inclui o Plano de Ordenamento Turístico, que está a ser trabalhado. Há realmente mudanças a empreender ou antes uma questão de adaptação às novas realidades, ou ainda saber antecipar os novos tempos onde sobressai um turista mais exigente?

Refiro-me à estratégia global do destino e não uma estratégia promocional. Ou seja, estou-me a referir ao que são as intenções e os projectos para 2011 da Secretaria Regional do Turismo e Transportes, que envolvem questões como Plano de Ordenamento Turístico, que está a chegar ao seu términus.
Ao acabar em 2012, 2011 será o ano de início do processo de revisão. Há que pegar em todo esse documento e em todas as análises que fez e projectou e pensar o futuro do Turismo da Madeira para a próxima década.

Vai ser um POT 2?
Não sei. Isso depende dos instrumentos de regulação que sejam mais adequados. Penso que se manterá o objectivo de criar um documento que seja vinculativo para entidades públicas e privadas, como o actual foi. Só assim tem eficácia. Se for só um documento conceptual ficamos pelas intenções e, quando se chegar à hora de tomar atitudes não se consegue viabilizar as decisões.
Será um instrumento com essa ou outra designação, que vai retomar aquela abordagem, começando por um diagnóstico da situação, considerando as envolventes e os factores todos que são determinantes para o turismo, a nível interno e externo, diria mesmo, sobretudo externo, onde muito está em transformação e mudança acelerada.
Depois, estabelecer um padrão de desenvolvimento turístico. Já não chamo crescimento turístico porque não considero a palavra certa.

O novo instrumento deverá ir mais além do número de camas de que muito se falou no primeiro?
Se aumenta ou não, será uma consideração que terá de ser enquadrada nos estudos a fazer.
Uma coisa é certa, a actividade turística no mundo vai continuar a crescer.


Sem comentários