últimas notícias

Estudo revela valor da net para a Madeira

Um estudo sobre o Gasto Turístico na Madeira foi apresentado a 29 de Setembro pela directora regional de Turismo, Raquel França, revelando, entre outros itens, que os turistas que nos visitam são cada vez mais jovens e recorrem mais à Internet e menos às agências de viagem.

A governante salientou que quem visita a Madeira escolhe a Região Autónoma como primeira opção, realçando que o perfil do turista é essencialmente de ambos os sexos, com idade a rondar os 40 anos, habilitações literárias elevadas, está no activo e tem um rendimento mensal relativamente alto.
Segundo Raquel França a forma como são adquiridas as viagens sofreram uma alteração profunda nos últimos cinco anos.
Segundo a directora regional de Turismo «entre 2003/2004, verificou-se uma elevada percentagem ao nível das agências de viagens. As pessoas viajavam para a Madeira recorrendo a agências, na ordem dos 68 por cento, mas em 2009/2010 baixou para 40 por cento. Portanto, há uma diminuição grande e considerável da compra através das agências de viagens e, ao invés, assistimos a um aumento significativo na Internet que passou de 10 para 45 por cento».
Por outro lado, o estudo revela que a natureza continua a ser o motivo preferencial do turista com nível de satisfação elevado, com excepção das praias.
Relativamente às principais motivações do turista na Madeira, Raquel França realçou que «o contacto com a natureza ocupa o primeiro lugar com 32 por cento, onde se incluem as levadas e os passeios, enquanto o sol e mar situam-se nos 19 por cento».
A governante revelou que «a cultura começa a assumir um papel preponderante na Madeira». A este propósito, o estudo revela que o turista que visita a Região sente-se complementado pela cultura, pela gastronomia, entre outros motivos.
Em termos de satisfação os turistas elegeram a paisagem e a natureza como os itens preferenciais. Por ordem decrescente, o estudo destaca a segurança, hospitalidade, simpatia, alojamento, limpeza, domínio de língua estrangeira, gastronomia, património histórico, transportes, relação qualidade/preço, clima, animação nocturna, eventos culturais e praias. «Em todos estes itens estamos acima da média, sabendo de antemão que o valor mais baixo de satisfação são as praias», realçou a directora regional de Turismo.
Para realização deste estudo foram inquiridos 1.663 turistas, tendo um erro de amostra de 2,4 por cento e um nível de confiança nos 95 por cento.

Sem comentários