últimas notícias

Aeroporto do Porto Santo quer mais internacionais

O aeroporto do Porto Santo regista este ano um decréscimo de movimentos na ordem dos 10 por cento e os responsáveis do sector querem apostar no incrementando das ligações com a Europa para minimizar a situação. Os dados foram confirmados à agência Lusa pelo vice-presidente da ANAM (Aeroportos e Navegação Aérea da Madeira), Roberto Santa Clara, por ocasião das comemorações dos 50 anos daquela infraestrutura aeroportuária, a primeira a ser construída neste arquipélago, que foi inaugurada a 27 de agosto de 1960.


Este responsável refere que o aeroporto portossantense registou até julho um decréscimo na ordem dos 10%, tendo passado pela infraestrutura da denominada Ilha Dourada em 2009 cerca de 120 mil passageiros, transportados em 3064 ligações. Sustenta que nesta ilha “o caminho faz-se de forma calma e ponderada”, até porque o Porto Santo é um destino turístico recente e “pequeno”. Adianta que estão a ser desenvolvidos esforços para “no futuro próximo incrementar ligações da Europa, o que é um grande objetivo para aquela ilha”. Realça que “este ano foi possível retomar voo de Gatwick, que decorreu até julho e será retomado em setembro”, apontando que “apesar dos resultados negativos, pois perdeu 10% dos passageiros até julho, o facto de ter trazido voos do Reino Unido foi importante” para o turismo da ilha.

“Estamos a trabalhar afincadamente tentar trazer um voo da Alemanha ou Escandinávia, mercados que se podem adequar ao produto Porto Santo”, anuncia. Destaca que é “público que é esta é uma infraestrutura deficitária, é um destino pequeno, pelo que não é possível ter ilusões, porque no atual contexto turístico e mundial, o Porto Santo não é exceção”. Roberto Santa Clara menciona que em 1995 este aeroporto atingiu os cerca de 196 mil passageiros e que o decréscimo que vem registando está relacionado também com a entrada na linha de um navio, o “Lobo Marinho”, que “oferece excelentes condições, num pacote mais competitivo, e conquistou uma fatia de mercado que tradicionalmente era do transporte aéreo”.

Mas “acreditamos que existem condições para reverter parte da situação, pois o transporte aéreo oferece uma ligação em 10-12 minutos, sendo possível sair da Madeira 08:30 e estar no Porto Santo pelas 8:45 e voltar no final da tarde”, argumenta. Considera que esta é “uma oferta única que no futuro, poderá ser um complemento à natural estadia dos turistas na Madeira”, uma perspetiva que defende deve ser potenciada pelo setor. Roberto Santa Clara destaca ainda que “num futuro próximo será possível apresentar uma oferta mais apelativa, com o transporte de famílias em condições mais vantajosas, integrando a transportadora e infraestrutura aeroportuária e hotelaria do Porto Santo”.

Refere este aeroporto do Porto Santo tem “excelentes capacidades”, sendo utilizado como “plataforma de recurso” quando o aeroporto da Madeira está inoperacional, pelo que as duas infraestruturas se complementam.

Sem comentários