últimas notícias

Presidente do Governo quer cada tostão bem gasto no Turismo

O presidente do Governo Regional defende que cada tostão a dispender na promoção do destino Madeira tem de ser bem gasto, com a focalização nos mercados e no público alvo que a Região Autónoma pretende. Um trabalho que diz ter de ser pensado conjuntamente entre os sectores público e privado, que aproveitou para elogiar o que têm feito concretamente em sede da Associação de Promoção da Madeira.

Na abertura da Conferência Anual do Turismo, cujos trabalhos decorreram durante todo o dia 8 de Maio no Funchal, com o tema “Marketing turístico”, Alberto João Jardim falou da conjuntura desfavorável, que afectou o mundo global, onde os destinos, para recuperar os turistas perdidos, reforçam as suas apostas nas campanhas de promoção. Em seu entender, trata-se de uma tarefa facilitada para os destinos mais desafogados financeiramente, que diz não ser o caso da Madeira.
O presidente do Governo Regional aproveitou a presença naquele fórum para relevar o trabalho desenvolvido pela Delegação Regional da Madeira da Ordem dos Economistas, a organizadora do evento. Acentuou que constitui um exemplo do trabalho que a sociedade civil pode e deve desenvolver.
Quem também falou na sessão de abertura foi Francisco Murteira Nabo, bastonário da Ordem dos Economistas.
Acerca do turismo, e depois de reconhecer o desempenho da delegação regional num trabalho em prol dos seus associados e sociedade, onde se evidencia a Conferência do Turismo, sumariamente disse que a conjuntura é desfavorável e que, por tal motivo, vai ter de se adaptar e criar novas formas de atrair turistas. E, referindo-se à Madeira, sublinha que a forma de o fazer passa como a Região Autónoma “tem feito até agora, com criatividade”.
Daqui fez uma ponte para a conjuntura económica e financeira para mostrar o seu espanto acerca da fórmula de crescer sem investir. Admite ser necessário alguma cautela nestes períodos mas defende que há investir para fomentar o emprego. Acentua que não importa onde investir, tarefa que deixa aos entendidos, evidenciando que se não fizermos nada não vamos a lugar algum.
Murteira Nabo sublinha que se o País vai passar os próximos três anos em reequilíbrio financeiro o número de pessoas sem emprego vai subir.
O primeiro orador seria, no entanto, o presidente da delegação regional na Madeira da Ordem dos Economistas. Eduardo Jesus começou por referir que a Conferência seria a última da actual direcção e, por isso mesmo, aproveitou para enumerar o que tem feito juntamente com a sua equipa.
Ao falar da Conferência referiu da importância do Turismo para a Madeira e de como o arquipélago tem sido sempre uma ligação com o exterior na sua afirmação económica. Realidade que começou com o açúcar e continua hoje com o Turismo e o Centro Internacional de Negócios da Madeira. E como consegue afirmar-se numa panóplia global de ofertas? Eduardo Jesus sublinha que tudo passa pela diferenciação onde a autenticidade não é suficiente.

Sem comentários