últimas notícias

João Passos apela ao apoio de todos

“Bem hajam por mais esta demonstração de inteligência”, escreve João Passos, reeleito presidente da associação das agências de viagens portuguesas APAVT, ao fazer um balanço do acto eleitoral de dia 17, no qual defende que “fez-se mais uma vez história na vida da nossa Associação”.

João Passos, em texto publicado no seu blog de campanha, afirma que os associados da APAVT “deram, mais uma vez, uma prova irrefutável da sua capacidade de discernir entre o essencial e o puramente acessório ou demagógico”.
O reeleito presidente salienta que “os resultados alcançados foram expressivos e gratificantes”, destacando que a lista que encabeçou apresentou-se “sem orçamento próprio”, com a participação paga “pelo bolso dos Associados que nela estiveram empenhados” e que dessa forma “demonstrou o entusiástico empenhamento de quem gosta verdadeiramente da actividade, e se revê na sua Associação, bem como no projecto apresentado, considerando-o como o único garante em honrar os 60 anos da APAVT”.
João Passos, que termina com o apelo “vou necessitar do apoio de todos, para cumprir o Programa que apresentei”, comenta que com o acto eleitoral de dia 17 “fez-se história” na vida da Associação a que vai presidir por mais dois anos desde logo por que “desde há muitos anos não se apresentavam duas listas concorrentes às eleições”, mas também porque a participação “foi a segunda maior de sempre”, porque o acto eleitoral “foi correctíssimo” e, “sobretudo porque mais uma vez os Associados optaram claramente por um projecto credível, transparente, honesto, revendo-se afinal no mote da Candidatura vencedora: Em Consenso, com Representatividade, Construir o Futuro”.
No blog pode também ler-se um texto de Vitor Osório sobre o acto eleitoral, no qual defende que “a classe dos agentes de viagens contrariamente ao que alguns pretendem fazer crer, acaba de demonstrar que sempre soube, e sabe, bem o que quer”.
“Um desabafo” é como Vitór Osório classifica a sua tomada de posição, depois de explicitar que o faz sem ser mandatado pela “Direcção agora democrática e civilizadamente eleita”, para testemunhar: “Acabámos de dar uma lição imensa a muita gente”.
Vítor Osório afirma estar seguro de que todos ganharam com as eleições do passado dia 17 e acrescenta que “os únicos que perderam foram “alguns pseudo-fazedores” de opinião que a esta hora e pela segunda vez estarão a pensar se não devem trilhar outros caminhos, pois enquanto tal já não têm futuro”, rematando com o ditado: Só quem está no Convento, sabe bem o que lá vai dentro”.

Sem comentários