últimas notícias

1º dia Soltrópico na Madeira

Os agentes de viagens no Parque Temático da Madeira
(foto Presstur)
O primeiro dia do incentivo da Soltrópico na Madeira, para apresentação da programação de Verão, “brindou” os cem participantes com muita chuva e algum frio, mas não conseguiu arrefecer o ânimo dos agentes de viagens por descobrirem o que a Madeira tem para oferecer.
O dia amanheceu nublado, e a partida do Funchal não fazia adivinhar a chuva que se esperava, apesar de à chegada, na noite de ontem, sexta-feira, o guia ter aconselhado os participantes a levarem um casaco quente, porque o itinerário previa uma visita ao Pico do Areeiro, o terceiro mais alto da Madeira.

Logo no Monte, primeira paragem da visita, se fizeram sentir a humidade e a chuva, acentuando a explosão de cores que caracteriza a Madeira nesta época do ano, com as flores e as árvores a darem um colorido especial à paisagem.
A paragem no Monte, além de apresentar uma vista magnífica sobre a ilha, é também um local de paragem para ver o Jardim Tropical do Monte Palace, que apresenta inúmeras espécies de plantas e flores espalhadas por lagos, jardins orientais e ricos painéis de colecções de azulejos antigos e a Igreja da Nossa Senhora do Monte, padroeira da ilha da Madeira e local onde se encontra sepultado Carlos I, Imperador da Áustria, que foi canonizado pelo Papa João Paulo II.
O Monte é também o ponto de partida para os tradicionais carros de cesto, e um excelente local para os agentes aproveitarem e tirarem inúmeras fotografias.
O Pico do Areeiro, infelizmente, estava coberto de nuvens e a chuva caía forte, pelo que a “caravana” fez apenas uma breve paragem para café. Em dias claros, porém, como salienta o guia que acompanha os convidados da Soltrópico, consegue ver-se uma paisagem única sobre a ilha da Madeira.

É tempo, por isso de descer até ao Parque Temático, por estradas cheias de curvas, numa paisagem verde e luxuriante.
O Parque Temático, com uma área de 145 mil metros quadrados, é um imenso jardim, que dispõe de diferentes pavilhões subordinados a temas como a “Descoberta das Ilhas”, que propõe um percurso de barco a reviver o descobrimento das ilhas do arquipélago da Madeira, com imagens e efeitos sonoros, que ajudam a tornar mais “viva” a experiência.
O pavilhão “Futuro da Terra”, por sua vez, sensibiliza o espectador, através de um espectáculo multimédia, para a necessidade de defender e preservar o ambiente.
Outras propostas são a “Viagem Fantástica na Madeira“, que simula as aventuras de um casal em Lua-de-mel na Madeira, e “Um mundo de Ilhas, As ilhas no Mundo”, que conta a história e a cultura das ilhas, a origem da vida, o descobrimento, e fala da Madeira de hoje e os seus produtos.
No parque é ainda possível ficar a conhecer o artesanato da Madeira, como bordados, trabalhos em palha ou latoaria, em diferentes casas, em cada uma delas com os artesãos a receberem os visitantes, mostrando e falando do seu trabalho.

Em todo o terreno, o visitante depara-se com peças enormes alusivas ao mais típico da Madeira, desde o gorro, à garrafa de vinho, à casa de palha e ao bailinho.
O almoço foi também dos restaurantes do Parque, acompanhado pela música alegre de um rancho folclórico, que depois dos cafés foi convidar os agentes a dançar... E alguns aceitaram o convite.
Antes da partida do Parque, tempo para a fotografia de família. À saída, o rancho folclórico toca a música, à laia de despedida, que os agentes acompanham alegremente com palmas.
Para a noite o programa prevê a apresentação da programação da Soltrópico para o próximo Verão, e o incentivo na Madeira continua no Domingo, com um passeio de catamarã... se as condições meteorológicas o possibilitarem.

Sem comentários