últimas notícias

Alemanha está a reagir bem para a Madeira



O secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, reagiu ontem à quebra nas dormidas e receitas da hotelaria em Janeiro, afirmando que os países "concorrentes estão a cair mais que Portugal", e em Espanha "a quebra é três vezes superior".
Em declarações à Agência Lusa, Bernardo Trindade referiu que o comportamento do turismo em Janeiro "ainda não reflecte o trabalho desenvolvido com operadores e companhias aéreas", nomeadamente na Alemanha, onde será feita a primeira reavaliação em finais de Abril.
O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou ontem que o número de dormidas nos estabelecimentos hoteleiros caiu 7 por cento em Janeiro, face a igual mês de 2008, para um total de 1,7 milhões, enquanto as receitas recuavam 11,6 por cento para 81,5 milhões de euros.
Entre os principais mercados emissores, o Reino Unido regista a quebra mais marcada com um decréscimo de 15 por cento, seguido da Itália, com uma descida de 13,7 por cento e da Alemanha, com menos 12,6 por cento.
Estes dados "confirmam a crise sem precedentes" que também afecta o sector turístico já que "a prioridade dos consumidores não é viajar", disse o secretário de Estado do Turismo, que afirmou recentemente que as quebras no mercado britânico irão ser compensadas com outros países, nomeadamente o alemão.
"Apesar das dificuldades, no mercado alemão as perspectivas para o Verão são encorajadoras, tanto para o Algarve, como para a Madeira", avançou Bernardo Trindade, acrescentando que há sinais positivos de outros mercados, como o holandês.
O responsável garantiu que o "governo vai continuar a trabalhar em parceria com as associações do sector para promover Portugal no mercado interno, e com os operadores turísticos e companhias aéreas, partilhando o risco", para divulgar o destino no estrangeiro.
O secretário de Estado do Turismo frisou ainda o comportamento positivo do mercado interno em Janeiro.
A quebra de 7 por cento do numero total de dormidas na hotelaria nacional resultou de uma diminuição de 11,4 por cento da procura dos turistas estrangeiros, pois o turismo interno registou uma progressão de 1,4 por cento.

Sem comentários