últimas notícias

Madeira quer desenvolver mercado de cruzeiros


Até final de 2009 a baía do Funchal vai ficar com "uma cara mais bonita" com a conclusão da gare marítima para cruzeiros, um dos principais projectos em construção este ano, declarou a secretária regional do Turismos e Transportes
Em declarações à agência Lusa, Conceição Estudante considerou que este projecto é "extremamente importante para o futuro da região, numa área em franco crescimento a nível mundial".
"A crise não vai durar eternamente e o mercado dos cruzeiros irá crescer",disse.
A governante argumentou que, tendo em conta que a Madeira se situa numa zona do Atlântico, "uma gare com aquelas características tem tudo para ser atractiva e melhorar imagem que já é favorável pelas opiniões dos turista de cruzeiro, que tem alto poder de compra, consome sem grande desgaste, a sua passagem é rápida, e faz despesa na região".
"Interessa-nos desenvolver esse turismo", acrescentou Conceição Estudante, sustentando que, "com a nova gare, a baía do Funchal ficará com uma cara muito bonita".

Melhores condições

"O projecto de arquitectura é feliz e vamos dar ao porto do Funchal aquilo que achamos que uma baía destas merece", concluiu. Por seu turno, o responsável pela Administração dos Portos da Madeira, Bruno Freitas, afirmou à Lusa que "a nova Gare é uma mais valia para a imagem do Porto do Funchal, enquanto porto de cruzeiros".
"Toda aquela zona vai ser transformada. O porto do Funchal vai passar a ter uma infra-estrutura agradável à vista, leve do ponto de vista arquitectónico e simultaneamente mais funcional, na perspectiva da criação de melhores condições de circulação na entrada e saída de passageiros, proporcionando-lhes uma comodidade da qual nunca auferiram", realça.

Concluído no final do ano

A nova gare que deverá estar concluída no final de 2009 e representa um investimento na ordem dos 12,8 milhões de euros, sendo 63 por cento co-financiada pelo Fundo de Coesão e o restante é suportado pela Administração dos Portos da Madeira.
Localizada no molhe sul da Pontinha, a gare conta com uma forma longa e estreita, incluindo uma curva delineando o formato do cais, cerca de 170 metros de comprimento, dois pisos (um térreo e um primeiro andar) e abrange uma área que ronda os três mil metros quadrados.
Dispõe de circuitos separados de desembarque e embarque. Nesta última zona, ficarão sobretudo as lojas que são procuradas pelos passageiros que estão prestes a seguir viagem, embora existam algumas no piso térreo que têm acesso pelo exterior.
Bruno Freitas adiantou que a aposta é dotar a infra-estrutura portuária de uma "maior dinâmica turística e comercial que promova a imagem da Madeira e assegure o crescimento da Região no segmento de mercado de cruzeiros".
Por isso, a Madeira vai continuar a trabalhar em parceria com as ilhas de Canárias para promover o Porto do Funchal e que pretende reactivar a colaboração com outras infra-estruturas nacionais.

Balanço de 2008

Num balanço do movimento de 2008, Bruno Freitas considerou que foi "um ano muito bom para a consolidação da marca Portos da Madeira", confiando que continuará a ser "o primeiro porto português".
"O Porto do Funchal, agora completamente destinado aos navios de cruzeiro, cresceu", tendo registado no ano que termina 272 escalas, mais dez que em 2007, e a passagem de 407.845 turistas".
Em Novembro, foi o melhor mês de 2008 com 54 escalas que se traduziram na vinda de 74.486 passageiros.
Este sector contribuiu com um "grande impacto" para as receitas anuais na economia regional, enunciando que em 2007 se situaram nos 40 milhões de euros.
Nos últimos anos, o porto do Funchal tem-se afirmado como um equipamento "atractivo e competitivo e determinante para a economia regional", concluiu.

Sem comentários