últimas notícias

Novas linhas da TAP servem a Madeira

(foto Paulo Camacho)
A TAP vai articular com as ligações para a Madeira os novos voos que a companhia vai começar a operar de Lisboa para as cidades de Moscovo (Rússia), Varsóvia (Polónia) e Helsínquia (Finlândia). A informação foi avançada por Carlos Paneiro, director de Vendas da transportadora, que se encontra em Macau por ocasião do 34º Congresso da APAVT, no dia 30 de Novembro.

por Paulo Camacho

Pese embora as novas ligações surjam fruto de um protocolo conjunto ontem rubricado em Macau pelo Turismo de Portugal, a ANA, e a Associação de Promoção de Lisboa, a Madeira irá poder beneficiar dos voos que passam a ser feitos a partir de Junho de 2009 pelo facto da TAP ter o seu “hub” (base de operação) centrada na capital.
Em relação às novas operações, anunciadas no dia 30 de Novemrbo numa conferência de imprensa em Macau, podemos referir que a companhia começa a voar com uma base de cinco voos semanais para cada destino, sendo que para a capital da Polónia, passa a ser diário entre 22 de Julho e 6 de Setembro.

iniciativa.pt

Tratam-se de voos que surgem ao abrigo do fundo de novas rotas, que passa a designar-se “iniciativa:pt”, e que, numa base de três anos, implica um investimento de um milhão de euros, 600 mil de euros dos quais serão aplicados no primeiro ano. O Turismo de Portugal entrou com 40% do montante, a ANA – Aeroportos de Portugal, com outro tantos e a Associação de Turismo de Lisboa, com 20%, verbas que o seu director fez questão de evidenciar que foram integralmente conseguidas através dos privados.

Mais 50 mil passageiros

Com a nova aposta, Bernardo Trindade, secretário de Estado do Turismo, admite que possam desembarcar no Aeroporto de Lisboa mais cerca de 50 mil passageiros.
E por falar em números, Luís Patrão, do Turismo de Portugal, recordou que as novas rotas surgidas há cerca de dois anos ao abrigo da nova política de promoção com esse fim proporcionaram um resultado líquido de 556 mil passageiros desembarcados nos aeroportos da Madeira, Lisboa e Faro.
No global, evidenciou que o fundo já proporcionou oito novas rotas para Portugal, abrangendo cinco países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Irlanda e Reino Unido.

Aposta no mercado russo

Para o secretário de Estado do Turismo o protocolo rubricado em Macau para as novas rotas da Tap constitui a prova que os sectores públicos e privado podem trabalhar em conjunto no sentido de antecipar eventuais consequências da crise e contribuir para fazer crescer os mercados.
Concretamente em relação à linha de Moscovo, Bernardo Trindade não escondeu que se trata de uma aposta clara no mercado russo, que reconhece ter um grande potencial de crescimento e de proporcionar clientes com um índice médio de despesas elevado. Neste sentido, sublinhou que era fundamental abrir um espaço no sentido de Portugal ser mais competitivo.
Por isso mesmo, deixou bem claro que o Governo central vai continuar disponível no sentido de fomentar o surgimento de novas rotas.

TAP

Pela parte da TAP, Luís Mor, vice-presidente da companhia, teve oportunidade de dizer que com o voo da Finlândia completa aquela área do norte da Europa, que sublinha ter conhecido grande procura.
No global, acentuou que se tratam de desafios complexos e caros, sobretudo a linha de Moscovo, que reconhece não seria possível sem apoios. Adiante-se ainda a este propósito que a ligação a Moscovo, ao contrário do que se ouvia nos corredores, não é feita com escala em Varsóvia, pese embora a Tap tivesse colocado a hipótese de fazer uma escala intermédia porque vai utilizar a frota A320. Com esta opção, terá de penalizar o número de passageiros a bordo na ordem dos 25%, segundo admitiu Luís Mor.

Sem comentários