últimas notícias

Armas retoma tradição e liga Madeira ao Algarve


A companhia de navegação espanhola Naviera Armas inicia no dia 14 uma linha entre a Madeira e Portimão (Algarve), quebrando um "jejum" de 23 anos no transporte marítimo de passageiros entre a região e o continente português, segundo revela a agência Lusa.
Esta ligação sazonal, a vigorar entre Junho e Setembro, surge num contexto de liberalização do espaço aéreo entre a Madeira e o Continente (fixada a 24 de Abril) que, pela ausência de concorrência, tem ditado preços considerados proibitivos pelos madeirenses.
Depois da implementação do transporte aéreo, aos poucos, desde a década de 70 do século XX, os madeirenses assistiram ao progressivo abate dos navios da marinha mercante portuguesa como o "Infante Dom Henrique", o "Santa Maria", o "Vera Cruz", ou o "Príncipe Perfeito" da Companhia Colonial de Navegação, culminando na alienação do "Funchal".
Foi uma política de abate de navios que começou em 1968, e teve como primeiras "vítimas" o "Lúrio" e o "Quanza", estendendo-se até 1985, ano em que foi decidido abater o "Funchal", navio que foi salvo de uma morte anunciada graças ao armador grego Georges Potamianos que, embevecido pela sua construção, resolveu adquiri-lo e o integrou na sua frota, a Arcádia Shipping.
A nova ligação
A nova ligação marítima que a Naviera Armas vai realizar a partir de 14 de Junho poderá vir a representar uma alternativa na ponderação que os madeirenses fazem das suas férias.
Este recurso de deslocação por via marítima oferece a vantagem de o passageiro poder levar a sua própria viatura, permitindo organizar um combinado de férias quer no continente português (Lisboa dista cerca de três horas do Algarve), quer em território espanhol (onde o combustível é mais barato), com deslocações a Sevilha (a cerca de 90 minutos) ou às praias do Sul de Espanha.
As viagens
O "Volcán de Tijarafe", da Naviera Armas, é a embarcação que vai quebrar esse "jejum" de 23 anos de ausência de uma carreira regular marítima entre a Madeira e o Continente.
"Para a Madeira, esta ligação é um feito histórico após quase trinta anos sem ligações regulares com o continente português", disse à Agência Lusa Manuel Vidal, responsável pela área de comunicação da Naviera Armas, companhia que, desde 2006, efectua uma carreira marítima entre a região e Las Palmas, no arquipélago das Canárias, nos meses de Verão.
"Esta é a terceira vez que a Naviera Armas realiza a rota Canárias/Madeira", afirmou Manuel Vidal, acrescentando que em 2007 esta empresa "transportou 10.000 passageiros da Madeira e 2.000 viaturas".
Este responsável perspectivou que "este ano, a companhia espera aumentar o fluxo de passageiros com o novo atractivo da travessia a Portugal".
O cruzeiro começa às sextas-feiras em Santa Cruz de Tenerife, passa em Las Palmas, toca no Funchal e termina em Portimão, regressando pela ordem inversa, satisfazendo os mercados de viagens e de férias das Canárias, Madeira e Portugal.
"O destino combinado Madeira/Portugal permite que os passageiros canarianos da Naviera Armas conheçam as belezas da Madeira e desfrutem de um autêntico cruzeiro de um dia entre Portugal e Canárias", referiu ainda Manuel Vidal.
Estreita ligação
"Os passageiros canarianos poderão ainda desembarcar com os seus carros, gozando um fim-de-semana na Madeira (de sábado a segunda-feira) e, simultaneamente, respondemos a um desejo das agências de viagens que pediam que a estada dos madeirenses nas Canárias passasse de cinco para dez dias", adiantou.
Manuel Vidal destaca que a intenção da Naviera Armas é estabelecer "uma estreita relação com a Madeira e colaborar nas suas ligações marítimas na medida das necessidades e possibilidades que vão aparecendo".
Acrescenta que a companhia espanhola "está convencida que esta nova linha, pelo preço, pela qualidade e pelo serviço terá a aceitação do público sobretudo quando comparar o custo com as tarifas aéreas".
"É um novo nicho de mercado que tem a possibilidade de poder transitar com a sua viatura em Portugal sem ter de fazer despesas suplementares com o aluguer de um carro. Acreditamos que seja um novo atractivo", realça.
"Estamos muito satisfeitos com o mercado Madeira/Canárias, que é muito exigente e com grande futuro", finaliza.
A secretária regional do Turismo e Transportes, Conceição Estudante, aplaude esta ligação, mas, confrontada com a ideia da criação de um subsídio social nas passagens, responde não saber se isso será possível.
"A operação, tal como ela está neste momento configurada, é uma operação turística com carácter sazonal e sem continuidade. Pensar em apoios sociais, nestas circunstâncias, poderá ser questionável", afirmou a governante madeirense.
Adiantou que "a secretaria de Estado dos Transportes manifestou disponibilidade para apreciar esta questão já no pressuposto de que, no futuro, a carreira poderá ter outras características como existem em outras regiões insulares e respectivos territórios continentais".
De acordo com a Naviera Armas, a viagem Madeira - Portimão (de cerca de 24 horas) custa 82 "on way" com assento (164 euros ida-e-volta) e o transporte de carro é acrescido de 110 euros.
O preço em camarote custa a partir de 164 euros (328 euros ida-e-volta).
O navio
O "Volcán de Tijarafe", da "Naviera Armas", empresa de navegação fundada em 1941, em Lanzarote, nas ilhas Canárias, entrou ao serviço em Fevereiro de 2007.
Tem 154 metros de comprimento fora-a-fora, 25,60 metros de boca máxima e 5,70 metros de calado.
Desloca 20.500 toneladas, tem uma velocidade de serviço de 24,5 nós, 56 camarotes, 206 camas e pode transportar 1.000 pessoas, 1.500 metros cúbicos de carga e 300 automóveis. Aos passageiros, o navio oferece um buffet quente durante toda a viagem, piscina, actividades lúdicas e espectáculos,discoteca e animação para crianças.

Sem comentários