últimas notícias

Britânicos lideram turismo de cruzeiros


Itália é o porto de cruzeiros mais popular da Europa, tendo recebido em 2006, 3,4 milhões de passageiros, enquanto no mesmo ano o Reino Unido foi o maior mercado emissor de cruzeiristas com 1,2 milhões.
O Reino Unido registou um crescimento de 12,4% no número de passageiros, comparativamente a 2005, com 1,07 milhões de passageiros, segundo o relatório do Conselho Europeu de Cruzeiros (European Cruise Council – ECC), apresentado esta semana em Bruxelas.
A Alemanha foi o segundo mercado emissor em 2006, com 705 mil passageiros (mais 10,3% com 63,9 mil) seguida de Itália com 527 mil (0,6% mais 51,4 mil passageiros), Espanha com 391 mil (mais 3,2% 379 mil passageiros), França com 242 mil (mais 3,9% 233 mil passageiros) .
Finlândia, com 13,3 mil passageiros, foi o único mercado a registar uma quebra de 2005 para 2006, em menos 16,9% (16 mil passageiros no ano anterior).
A nível de destinos, o relatório refere que a seguir aos portos italianos de Nápoles, Civitavecchia e Livorno, Espanha, com as Canárias, surge em segundo lugar, com 2,8 milhões de passageiros.
Grécia, e os portos de Pireu, Corfu, Katakolon, Santorini, Rodes e Mikonos, é o terceiro destino mais popular, com 2,5 milhões de passageiros, seguido de França, com 1,39 milhões de euros e Noruega com 1,13 milhões.
O relatório revela ainda que a nível de gastos directos, Itália foi o mercado que registou os maiores valores, passando de 2,5 mil milhões de euros em 2005 para 3,1 mil milhões de euros em 2006, um aumento de 27,9%.
O Reino Unido registou 1,8 mil milhões de euros, mais 7,8% que em 2005, ano em que registou 1,6 mil milhões de euros, segundo da Alemanha que aumentou 10,3% de 1,07 mil milhões de euros para 1,1 mil milhões de euros.
França, que regista o maior crescimento, 58,4%, surge a seguir com 849 milhões de euros em 2006 (536 milhões de euros em 2005).
Espanha surge a seguir, com um aumento de 14,2% em gastos directos, passando de 683 milhões de euros em 2005, para 780 milhões de euros em 2006, e depois a Finlândia, que com um crescimento de 18,2% passa de 621 milhões de euros em 2005 para 734 milhões de euros em 2006.

Sem comentários