últimas notícias

Provedor do Cliente diz que ritmo de queixas mantém-se

O número de reclamações recebidas pelo Provedor do Cliente da APAVT aumentou de 773, entre Janeiro e 15 de Novembro de 2006, para 794 em igual período do corrente ano. São mais 21 casos. Estes são dados que o Provedor, Vera Jardim, revelou no Brasil, nos primeiros dias de Dezembro, à margem do Congresso da APAVT. Segundo disse, acompanham a tendência do ano anterior.

No entanto, do total de reclamações que não foram apreciadas, baixou de 225 para 177 este ano.

Quanto ao total de reclamações apreciadas de 548 o ano passado, passou para 617 até o período em análise de 2007.

No meio das reclamações a maior evidência vai para o crescimento para a alteração do programa de viagens, onde os circuitos europeus têm grande expressão. De 114 passou para 151 (+37).

Atento a esta realidade, Vera Jardim diz já ter sensibilizado os operadores no sentido de a minorar.
Trata-se de uma conversa que, não só por este motivo, como por outros, vai levá-lo a reunir em Janeiro de 2008 com os operadores no sentido de os alertar para a necessidade de terem em atenção, entre outros pontos, para que haja a possibilidade permanente de contacto entre o cliente e o agente de viagens. Mesmo ao fim-de-semana (que motivou algumas queixas). E uma atenção especial aos representantes dos operadores nos destinos.

As queixas sobre as más condições de alojamento e transporte passaram de 113 para 133 (+20), os atrasos de voo, de 74 para 76 (+2), o cancelamento de viagens, de 33 para 24 (-9), a falta de acompanhamento do guia/agência/operado, de 13 para 8 (-5), o extravio da bagagem, de 50 para 76 (+26), o incumprimento contratual, de 38 para 34 (-4) e Outros, de 29 para 32 (+3)

Uma nota final para dar conta de que os destinos novos, normalmente, dão mais problemas.

Sem comentários