últimas notícias

Congresso da APAVT começa

(por Paulo Camacho)
O 33º Congresso da APAVT arranca, efectivamente esta manhã, em Búzios, no Brasil, depois da abertura solene de ontem, que decorreu no Hotel Atlântico Búzios, sede do maior fórum do Turismo nacional.

por Paulo Camacho

Por cá, o município de Armação dos Búzios, está dando grande ênfase ao evento que trouxe a esta cidade do estado do Rio de Janeiro, cerca de 400 congressistas. Além das entidades e personalidades da Madeira, com destaque para a secretária regional do Turismo e Transportes, Conceição Estudante e para o secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, encontramos pessoas conhecidas, onde podemos evidenciar, por exemplo, o ex-ministro do Turismo, Telmo Correia, e a equipa executiva, de topo, da TAP Portugal, presenças habituais nos congressos da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo.
Por toda a cidade baixa vemos cartazes pendurados a espaços, depois de uma grande faixa saudar os congressistas à entrada.
No único jornal de Búzios “O Peru Molhado” além de artigos de opinião que dão alguma ênfase ao evento, onde apenas destoa a escrita no que, supostamente será o editorial, os anúncios dão as boas-vindas e, inclusivamente, proporcionam “10% de descontos aos agentes portugueses”.
E, pelo que soubemos ontem, a vinda do congresso da APAVT para Búzios é um sonho com quatro anos. Curiosamente de um português, que encontrou nestas paragens o local ideal para investir em unidades hoteleiras e restaurante de requinte na praia. Octávio Martins, que ligou as pontas e reuniu vontades.
Apesar de reconhecer que as ocupações nas unidades de Búzios estão praticamente boas todo o ano, com excepção de dois meses (Maio e Junho), onde os mercados vizinhos da Argentina e do Chile, têm grande presença, diz que a aposta no mercado português não pretende que este os substitua, mas antes que diversifique e permita amortecer eventuais “espirros” nestes países emissores.
Até porque, evidencia, Búzios não quer crescer a qualquer preço. Primeiro porque aposta numa faixa média/média-alta, que por si, seleccione os turistas.
No fundo, enquadra-se na política do município. Toninho Branco, presidente da Câmara de Búzios, deixa claro que a cidade quer crescer mas “não abre mão da qualidade”. Deixa claro que, “ainda que atraindo grandes empreendimentos e oferecendo ao visitante uma extensa variedade de serviços, não temos como objectivo perder o clima característico de nossa cidade” Diz que Búzios, na sua essência, é uma vila de pescadores. “E assim queremos ser reconhecidos: pelo clima aconchegante, pelo sossego das praias, tendo a vida marcada pelo ritmo sereno das ondas do mar”.

Não obstante admite que crescer é preciso. “E discutir esse crescimento, uma necessidade”. Ao escolher Búzios como sede do congresso a APAVT “nos dá sinais de confiança e abre caminhos para futuras parcerias e negócios”.

Sem comentários