últimas notícias

Madeira e Porto Santo vão crescer em 2007

O Porto Santo, considerado um mercado emergente pelo Instituto de Turismo de Portugal, e a Madeira, contribuirão para que as receitas do turismo deva crescer 5 a 8 por cento em 2007 face a 2006.

O presidente do ITP adiantou que, este ano, as receitas turísticas deverão ultrapassar os 7.000 milhões de euros, mais 8,2 por cento que em 2005.
Segundo referiu Luís Patrão, este "significativo crescimento" assenta nas áreas mais consolidadas onde o sector está apostado em crescer — como Lisboa, Algarve e Madeira — mas também em áreas emergentes como o Porto e a região Norte e nos sub-destinos Alqueva, Douro, Serra da Estrela, Oeste, Sudoeste Alentejano, Porto Santo e Açores.
"Estamos a aumentar o nosso portfolio de ofertas diversificando os destinos emergentes", disse.
A este propósito, Luís Patrão destacou o importante papel impulsionador de estratégias externas ao próprio destino turístico, entre as quais as linhas aéreas de baixo custo ('low cost').
Muito importante para "melhorar as condições de competitividade dos destinos turísticos", o negócio destas companhias aéreas tem sido, na sua opinião, "muito bem desenvolvido" em Portugal.
"No Algarve mais de 50 por cento dos passageiros já chegam em companhias 'low cost', enquanto no Porto e em Lisboa este número mais do que está a duplicar anualmente", salientou.
Neste âmbito, o ITP diz estar "a trabalhar muito intensamente com as autoridades aeroportuárias e autoridades regionais de turismo" no sentido de apoiar financeiramente as operações de promoção comercial do país nos locais de partida e chegada destas linhas aéreas.
"Este apoio tem vindo a ser muito reforçado", salientou Luís Patrão, referindo os 50 milhões de euros a investir pelo ITP em 2007 na promoção do país a nível nacional.
De acordo com Luís Patrão, o objectivo é "criar novos mercados, multiplicando o número de turistas que visitam as regiões" onde chegam e partem as rotas de baixo custo, que são "uma grande oportunidade de negócio a aproveitar".

Sem comentários