últimas notícias

Fim-do-ano na Madeira é sem promoções

O director regional de Turismo, Dinarte Camacho
(foto: Paulo Camacho)
O director regional de Turismo criticou que se venda a Madeira a preços promocionais para o que diz ser a “menina dos olhos” dos cartazes turísticos da ilha: o fim-do-ano. O mesmo já não considera para períodos especiais como as alturas baixas.

por Paulo Camacho


O director regional de Turismo (na imagem) admite que o reforço de verbas para a promoção é relevante. Mas, mais importante que isso, Dinarte Camacho diz que é preciso dar um grande enfoque na diferenciação.

O governante falava ontem durante uma conferência realizada no Funchal, para revelar as novas orientações preconizadas para a BTL - Bolsa de Turismo de Lisboa que agora tem, pela primeira vez, uma Comissão Organizadora, da qual faz parte a Direcção Regional de Turismo.

Como exemplo do que acabava de referir, apontou a campanha que está a ser feita no continente no sentido de captar mais turistas nacionais para o período mais fraco da ocupação hoteleira na região, entre os dias 15 do corrente mês e igual dia do mês de Dezembro. Recordou que a direcção regional não tinha mais verbas para a promoção, mas, com engenho e arte, conversou com as partes, concretamente Abreu, Topatlântico e Halcon no sentido de serem criados pacotes atractivos para materializar a campanha: “Faça da Madeira o seu presente de Natal”. E, na realidade, estão nas montras das agências de viagens pacotes para a Madeira a 148 euros, incluindo viagem de avião de ida-e-volta e estadia em hotel por duas noites. Em condições normais, um continental que queira vir à Madeira paga, só de avião, cerca de 250 euros para os dois sentidos.

Não às promoções no fim-do-ano

Dinarte Camacho, diz que a aposta no “hard selling” só se aceita quando os estudos demonstram a existência de uma grande disponibilidade de lugares de avião e de camas. Por isso, condena que se façam promoções, como diz ter visto, para o fim-do-ano na Madeira, que, conforme evidenciou, é prinicipal cartaz turístico da ilha.

Sobre as acções que estão a ser desenvolvidas para as “compras”, refere que está a ser feita nos principais centros comerciais como o Colombo, com um stand junto ao restaurante McDonald’s, nos aeroportos, através de spots na RTP e no envio de mensagens SMS, já concretizado para cerca de 4.000 potenciais clientes.

Além disso, evidencia que o tradicional verde da Madeira foi “substituído” pelo o azul do mar. Precisamente para chamar à atenção do mercado nesta promoção pontual.

Em relação aos resultados da campanha, admite que, este ano, possam não ser muito grandes. Mas considera que, nos próximos, serão melhores.

Quanto à conferência, serviu para revelar que a Madeira será uma das regiões convidadas (a outra é os Açores) para a edição número 20 da BTL. Em 2008.
Uma oportunidade que Dinarte Camacho e a Sandra Almeida, gestora de feiras na FIL, onde realiza a BTL, comungam ser uma grande oportunidade para dar ainda mais visibilidade ao destino Madeira, ainda por cima, tendo em linha de conta os novos moldes da principal feira de turismo nacional que vão concentrar as partes participantes das regiões num mesmo espaço.

E, tendo em linha de conta o facto da Madeira ser uma das regiões convidadas, vai passar a ter ainda mais notoriedade onde a FIL/BTL irá estar presente, como acontecerá com a feita de turismo de Espanha, Fitur e a ABAV, no Rio de Janeiro, já que será dado enfoque igualmente às duas regiões convidadas.
Acrescente-se que, embora na edição de 2007, não vá ser possível ter o suporte do navio Lobo Marinho em Lisboa, como apoio/embaixador da Madeira (por ocasião da sua manutenção, que ocorre em Janeiro), tudo poderá coincidir para que os trabalhos anuais aconteçam em Portugal em 2008 e, então, se proporcione esse desejo.

Sem comentários